Terça-feira, 11 de Outubro de 2011
por Fernando Moreira de Sá

 

Segundo algum ruído que senti, ao de leve, nalguma comunicação social, o Ministério Público prepara-se para acusar Hulk, Sapunaru e outros jogadores do F.C. Porto por um “crime” qualquer cometido num famigerado túnel. Uma moldura penal, como gostam de dizer, que pode ir até cinco anos de cadeia.

 

Um tipo ouve umas merdas destas e fica mudo de espanto. Ou talvez não. Que rica altura para o MP se lembrar de semelhante. Realmente, a malta, desculpem a linguagem, anda virada dos cornos com coisas sérias como o desemprego, os ordenados em atraso, os clientes que não pagam, os consumidores que não compram, os bancos que são sempre os que se safam mesmo quando são/foram parte significativa do problema e a justiça, a mesma que fecha os olhos à violência doméstica, a do “macho latino” e outras pérolas do género, anda entretida com os acontecimentos do famigerado túnel da bola. É brincar com o pagode.

 

Eu repito, que rica altura. Aqui a Norte, a crise é bem forte, bem mais forte e a populaça anda capaz de cometer loucuras. Basta acender o rastilho e vai ser o bom e o bonito. Quem preferir pensar que é brincadeira minha ou ameaça de teclado não percebe ou, pior, não conhece a situação que se vive por estas bandas. A famosa retrete do Catroga à beira disto é coisa de meninos, de meninos.

 

Querem brincar com o fogo? Quem avisa…


tiro de Fernando Moreira de Sá
tiro único | comentar | gosto pois!

20 comentários:
De pedro ónix a 12 de Outubro de 2011 às 00:37
Se houve queixa ou denúncia e se comprovam as agressões, diga-me lá o que pretende o que se faça? Que se arquive à socapa? Mas enfim, se já chegámos ao ponto em que deduzir uma acusação contra um jogador da bola é susceptível de provocar tumultos sociais para os quais ilustres blogueiros alertam em tom apocalíptico, estamos conversados.


De Fernando Moreira de Sá a 12 de Outubro de 2011 às 02:51
Caro Pedro,

Comprovam agressões? No futebol? Entre malta do futebol? Que já foram julgadas nas instâncias do futebol e cujos jogadores foram sancionados e agora querem mais circo?

Desculpe, caro Pedro, acredita mesmo que isto é coisa de tribunais e de MP? Se viu o vídeo deve ter reparado, certamente, que aquilo, as ditas agressões, foram coisa de dezenas de tipos, à molhada estilo a "batatada" em que todos nós participamos nos tempos de escola e acha, mesmo, que é caso para MP-Tribunais???????

Meu caro, quer fazer de mim estúpido...


De Pedro Óniks a 12 de Outubro de 2011 às 18:41
Caro Fernando Moreira de Sá,
Quem decide se é caso ou não para MP e Tribunais, é, num Estado de Direito, o MP e Tribunais. Não se exalte e deixe as instâncias competentes decidir ao abrigo da lei. Sim, porque é inquestionável que a lei prevê, em abstracto, a punibilidade desses presumidos inocentes.
Respeitosos cumprimentos,
Pedro


De Luís Marado a 12 de Outubro de 2011 às 08:05
Entre malta do futebol? Então os stewards já não são público outra vez? Claro que certamente não vai dar em nada... Entram em acordo e pagam uma indemnização ou nem isso e fica o caso resolvido, mas enfim...


De Fernando Moreira de Sá a 12 de Outubro de 2011 às 12:13
Caro L. Marado,

Os stewards? Mas você acredita no Pai Natal? Acha mesmo?
Realmente, a justiça, cujos processos estão todos tratados e onde não existe nem atrasos nem problemas de nenhuma ordem, nada como tratar de assuntos da bola e de carolos entre homens de barba rija...

É Portugal no seu melhor...


De Luís Marado a 12 de Outubro de 2011 às 12:47
Sim a justiça já está sem dúvida demasiadamente entupida com casos de m****. Mas se o MP acha que a lei foi violada neste caso, é sua função fazer acusação e o caso seguir para as devidas instâncias. Agora se devia haver outros mecanismos que solucionassem este tipo de casos mais rapidamente e com menores custos para o erário público? Sem dúvida!


De António C. Mendes a 12 de Outubro de 2011 às 10:04
É uma pena ver alguém equilibrado chegar a este ponto por causa do futebol. Fico na duvida se o Fernando está a ser simplesmente faccioso, ou se, utiliza a estratégia de querer fazer do FCP uma bandeira (que não é) da região Norte capaz de funcionar como espoleta de uma revolta nortenha. Não leve a mal, mas o FCP (grande clube de futebol português) é, no maximo, uma bandeira da área metropolitana do Porto. A região Norte que refere é outra coisa e o FCP não é a sua bandeira. A sua ameaça de teclado tem mais importância do que imagina, quanto mais não seja, por poder ser realmente rastilho para a actuação de crápulas atrasados mentais que gravitam no seu clube, no meu e noutros.


De Fernando Moreira de Sá a 12 de Outubro de 2011 às 12:29
Caro António Mendes,

Obrigado pelas suas palavras. Agora vamos por pontos:

O artigo é claro na crítica e na indignação: o país e a justiça no estado em que estão e agora vamos todos discutir os carolos e bofetadas entre homens de barba rija. É brincar com o pagode, não acha?

Quanto ao valor da minha prosa, não exagere. Somos meia-dúzia a ler :)

Um forte abraço.


De António C. Mendes a 12 de Outubro de 2011 às 12:44
Acho. Mas o artigo é uma ameaça velada de que as gentes do Norte, pseudo-representadas pelo FCP , se poderão revoltar e partir por ai abaixo a fazer sabe-se lá o quê.
Não subestime nenhuma prosa que se apresente como tal. Estou convencido que por aqui, pelo mundo bloguista , se ajuda muito a discutir o outro mundo, mesmo que fossemos meia-dúzia a ler.


De l.rodrigues a 12 de Outubro de 2011 às 10:22
Portanto: os tipos do norte podem distribuir fruta, e os outros amocham se não o país fica a ferro e fogo.
Portanto: a aplicação da justiça deve ser contigente à camisola do clube.

E que tal usar o Tag do seu colega de clube e actual secretário geral da cultura, "cantinho do Hooligan"? É só uma sugestão...


De Fernando Moreira de Sá a 12 de Outubro de 2011 às 12:32
Só não a uso pois não seria original nem eu tenho a qualidade de escrita do FJV.

Quanto à distribuição de fruta, no caso, de pêras, vá a ver o vídeo e ajude a justiça portuguesa: quantos pêros, quem os produziu, quem os vendeu e e e. Vai ver que é uma verdadeira salada de fruta.

Se considera a coisa como um caso de polícia e tribunais, óptimo. Amanhã vão começar a chover processos do MP - o primeiro é contra o filho da vizinha que deu um sopapo no Toninho por este lhe ter tirado a bola no recreio...


De J.M. Coutinho Ribeiro a 12 de Outubro de 2011 às 15:15
As caneladas durante o jogo são também ofensa à integridade física. Vão criminalizar o assunto?


De L.rodrigues a 12 de Outubro de 2011 às 16:23
As caneladas não.... Mas se se despoletar uma briga e, como por vezes acontece noutras latitudes, alguém puxar de uma arma durante o jogo, tenho a certeza de que é um caso de polícia. A coisa não fica por um cartão vermelho ou por uma irradiação. Igualmente, sem arma se um jogador desatar a sovar outro (coisa que é dificil de acontecer, porque há sempre gente de um lado e de outro, mas concebamos).
O estatuto especial do futebol não permite tudo. E acima de tudo não deve permitir violência.

O adepto que mandou o verylight há anos não era um mero estarola que merecia um puxão de orelhas....


De Fernando Moreira de Sá a 12 de Outubro de 2011 às 20:09
Já faltou mais, caro JMCRibeiro. Se as caneladas forem dadas por um jogador do FCP, o MP actuará de seguida.

O melhor, mesmo, é não lhes dar ideias :)


De J.M. Coutinho Ribeiro a 13 de Outubro de 2011 às 14:33
Convém não começarmos a confundir very lights mortais e armas de fogo com uma cena de estalos no final de um jogo. É que se começamos a confundir as situações, estamos a permitir a completa criminalização das relações sociais. E, enquanto tal, os verdadeiros crimes continuam impunes. Tudo, obviamente, sem esquecer que parece pouco normal que factos tão facilmente demonstráveis demorem dois anos para terem uma acusação do MP.

(sou adepto do FCP, mas longe de ser um fundamentalista. E a questão que me preocupa tem pouco a ver com futebóis - é mais com a Justiça.)


De Orlando Sousa a 13 de Outubro de 2011 às 00:34
Se o jogador da equipa A der uma cacetada no jogador da equipa B, o árbitro actuará em conformidade (um cartão, uma advertência, etc). Mas o MP dirá que foi agressão, e num espaço público, e vai daí abrirá um processo!!!!!



De Pedro a 13 de Outubro de 2011 às 22:16
A ver se eu percebo. Se um jogador de futebol me der um murro em qualquer instalação de um estádio, devo chamar um árbitro para lhe mostrar o cartão vermelho? É capaz de até levar dois jogos de suspensão. Se for um tiro, o miúdo fica durante o resto da época a ver os jogos em casa no plasma. Deve ser isso a que o Fernando Moreira de Sá chama as "instâncias do futebol".


De Fernando Moreira de Sá a 16 de Outubro de 2011 às 18:28
Pedro, você percebeu bem o que eu escrevi. Não vale a pena querer "virar o bico ao prego"...


De Pedro a 13 de Outubro de 2011 às 22:07
Eu acho giro o Fernando Moreira de Sá insistir em tratar a violência dos profissionais do futebol como brincadeiras de putos. Sobretudo, porque são putos com mesadas jeitosas. Eu, quando for pequenino, quero ser como eles. Andar de ferrari e ser inimputável. É o sonho de qualquer puto mimado.


De Fernando Moreira de Sá a 16 de Outubro de 2011 às 18:29
Pedro, repito, não vire o bico ao prego, sff. Obrigado.


comentar tiro

Regimento
outras cavalarias
tiros recentes
tiros mais comentados
cofre
tags
Arregimentados
Subscrever feeds