Domingo, 4 de Agosto de 2013
por José Meireles Graça

Há com certeza textos que regulam a actividade dos Provedores de Leitores, jornal a jornal, e se calhar há também legislação - em Portugal tudo o que mexe é regulado.

 

Não vou pesquisar, que nem a legislação nem os estatutos podem iluminar o estranho caso Óscar Mascarenhas.

 

Um Provedor do Leitor tem como função puxar as orelhas aos jornalistas quando estes ofendem princípios do jornalismo são, direitos dos leitores ou o estilo do jornal (se o tiver), pontapeiam a Gramática ou ignoram o senso.

 

Age por sua iniciativa ou por reclamação dos leitores, não tem poderes hierárquicos, e é independente. A sua arma é a opinião escrita, e a força dela vem do prestígio que tiver granjeado pela sua carreira, a sua independência, o seu equilíbrio e a sua experiência.

 

Da carreira de Óscar sei nada, excepto o que pude respigar, que é um percurso anódino de jornalista, e o que pude constatar, que é uma relação com a expressão escrita, digamos assim, desconfortável; da independência ficamos conversados, que tachar de fascistas dois excelentes moços, de impecáveis credenciais académicas e percurso de cidadania exemplar, com a indemonstrada afirmação de que "nos poucos dias que levam de governo, já deram provas de terem sido aldrabões" pode excitar o universo alvar do comentarismo oposicionista mas não passa de um insulto gratuito; equilíbrio quer dizer ponderação, equidistância e contenção, tudo o que um texto espumando raiva e ressentimento não tem; e quanto à experiência, existirá decerto, mas ganhava se lhe fosse dado melhor uso.

 

Óscar Mascarenhas colou, no JN, um cartaz de campanha. A minha sugestão é que deixe o lugar de Provedor para um colega que saiba bater ao de leve nos colegas.

 

E que vá colar os cartazes nas paredes.


tiro de José Meireles Graça
tiro único | comentar | ver comentários (7) | gosto pois!

Quinta-feira, 22 de Março de 2012
por Fernando Moreira de Sá

O Senhor Provedor OM decidiu responder à blogosfera. Fez bem. É sempre gratificante ver o Senhor Provedor OM do DN a falar para a blogosfera.

 

Ao contrário do que pensa o Senhor Provedor OM, boa parte dos leitores do DN gostam de ler os blogues. Aqui está a prova. Se é verdade que o Senhor Provedor OM lê os blogues, não o é menos que a malta também lê a prosa do Senhor Provedor OM. Sobretudo quando destacada pelos seus amigos marretas.

 

Só uma nota, coisa pouca, o Senhor Provedor OM continua na senda dos nossos amigos marretas, não diz tudo. Fica pelas meias palavras. É pena. Sempre gostava de saber quem são os pesos ditos pesados ou os pesados ditos pesos. Mera curiosidade, tão só. Servia para descodificar a coisa. Caso contrário, fico com a ideia que o Senhor Provedor OM gosta mesmo é de falar sobre anónimos e anonimatos...

 

A repetição constante do anonimato continua a ser a arma preferida do Senhor Provedor OM. Ainda vai ficar conhecido como O Provedor dos Anónimos.


tiro de Fernando Moreira de Sá
tiro único | comentar | gosto pois!

Segunda-feira, 5 de Março de 2012
por Fernando Moreira de Sá

... depois de ler o douto artigo do Provedor do Leitor do Diário de Notícias, só posso endereçar o óscar de melhor argumento adaptado aos abrantes. Então os marretas tiveram a arte de enviar mails madrugadores ao Senhor Provedor e este, todo lampeiro, não se fez rogado e de tal conteúdo fez jurisprudência. Eu, ingénuo, olhava para o Senhor Provedor e via-o como uma espécie de blogger do 5Dias. Afinal, enganei-me, ele é mais "corporações".

 


tiro de Fernando Moreira de Sá
tiro único | comentar | ver comentários (4) | gosto pois!


Regimento
outras cavalarias
tiros recentes
tiros mais comentados
7 comentários
cofre
tags
Arregimentados
Subscrever feeds