Domingo, 9 de Junho de 2013
por Alexandre Poço

"Nós, comunistas, não aceitamos o jogo das eleições. As eleições não me interessam nada! Nada! Se crê que a questão se pode reduzir às percentagens dos votos obtidos por um partido ou por outro, engana-se redondamente."

 

Álvaro Cunhal, em 1975, numa entrevista a Oriana Fallacci.


tiro de Alexandre Poço
tiro único | comentar | gosto pois!

Quinta-feira, 31 de Janeiro de 2013
por Sérgio Azevedo

António Costa diz que Seguro tem 10 dias para unir o PS. Tudo se diz sobre uma liderança quando aceita ultimatos desta natureza. E sejamos francos, em 10 dias nem com fita cola.


tiro de Sérgio Azevedo
tiro único | comentar | ver comentários (6) | gosto pois!

por Dita Dura

Música dedicada ao Dr. António Costa

 


tiro de Dita Dura
tiro único | comentar | ver comentários (1) | gosto pois!

Quarta-feira, 30 de Janeiro de 2013
por Rui C Pinto

A política não está para fígados fracos e os últimos dias têm sido de antologia.

 

António Costa, possivelmente inspirado em Jorge Sampaio, lançou ultimato a António José Seguro. Devo confessar que tenho muita dificuldade em perceber como é que um líder partidário, que se pretende líder da oposição, se expõe a tal precariedade política. António José Seguro tinha como única solução viável precipitar eleições para enfrentar os opositores internos. António Costa não teve a coragem necessária para responder às exigências do momento e, de caminho, cometeu um erro básico que lhe poderá sair caro

 

Longe da capital e das urgências partidárias, o já celebre candidato à CM de Matosinhos, que o Fernando apresentou, já debate soluções para o país:

 

Como ninguém poderá adivinhar as ambições políticas de Parada e dada a fragilidade da liderança de António José Seguro, julgo que todos nos devemos preocupar... 


tiro de Rui C Pinto
tiro único | comentar | ver comentários (2) | gosto pois!

Segunda-feira, 28 de Janeiro de 2013
por Fernando Moreira de Sá

 

Pensava eu que António Costa era mais "independente". Afinal, parece que não...


tiro de Fernando Moreira de Sá
tiro único | comentar | gosto pois!

Domingo, 27 de Janeiro de 2013
por Carlos Faria

Após o discurso populista de António Costa na abertura do Congresso do PS-Açores na Horta, que recebeu um elogio rasgado de Carlos César e uma grande ovação dos congressistas, eis que um Seguro, inseguro, agastado e desnorteado faz um triste discurso no encerramento do congresso, que, como mandam estas festas transmitidas em direto para a TV, lá teve os aplausos dos presentes no Teatro Faialense que se haviam comovido com Costa.

Seguro começou no seu novo tom de quem se sente injustiçado a tentar agarrar a máquina do partido nos Açores: elogiou José Contente (o tradicional homem do aparelho regional e seu anterior apoiante) como candidato à câmara de Ponta Delgada; o Vice-presidente do Governo (o homem das finanças do executivo açoriano), o ex-presidente César (que já dera o sinal para o apunhalarem na abertura) e o novo líder do PS-Açores e atual Presidente do Governo Regional.

Depois virou-se a atacar o Primeiro-ministro, sentiu-se pioneiro no pedido de alargamento do prazo de maturidade do empréstimo à troika, repetindo o erro de ter sido ele quem falara de mais tempo para consolidar as contas públicas, mostrando que nem ainda compreendeu o que Gaspar pediu.

Falou que teria reestruturado os fundos comunitários para apoio ao investimento, como se estes não tivessem sido definidos pelo PS no tempo de Sócrates e como se no final do QREN e com Portugal falido se conseguisse mudar rapidamente a rota iniciada e até propôs a repetição de uma receita rosa.

Assegurar o crescimento com a construção de via férrea para Madrid, mostrando persistência na veia das obras públicas para tirar Portugal da recessão como se não tivesse sido esse o caminho que nos levou à bancarrota.

Claro que ele teria dinheiro 5000 ME, vindos da ajuda e destinada à banca e outras coisas afins, só não está disponível para a reforma do Estado, pois para ele tal é só cortar no Estado Social...

Deu para compreender o desespero dos socialistas com este líder, mas foram eles que o escolheram e ainda não vi ideias de fundo alternativas vindas de quem o está a apunhalar internamente.


tiro de Carlos Faria
tiro único | comentar | ver comentários (1) | gosto pois!

Sábado, 26 de Janeiro de 2013
por Carlos Faria

No momento em que se previa que José Seguro apostava nas autárquicas que lhe pareciam favoráveis e seriam a sua salvação para potencialmente caminhar para Primeiro-ministro de Portugal, eis que muitos membros da máquina do seu partido logo lhe espetam facas nas costas, iniciando uma revolta interna, pedem eleições e lança-se um estratega como homem de confiança: António Costa, e este surge como que a liderar a traição.

A verdade é que esta revolta no PS surge de um núcleo que se comporta como traidores que esfaqueiam o seu líder inseguro quando pressentem que um desafio eleitoral lhe poderia dar segurança… e provavelmente são estes traidores, oportunistas que lhe querem roubar a liderança que amanhã assumirão o papel de alternativa salvadora de Portugal.

Contudo, como é que um grupo que ascende ao poder dum partido através de traições públicas aos seus camaradas e sem nenhuma estratégia política que os distinga, exceto faro oportunista, pode ser para o Povo um exemplo de pessoas de confiança?


tiro de Carlos Faria
tiro único | comentar | ver comentários (8) | gosto pois!

Sexta-feira, 25 de Janeiro de 2013
por Rodrigo Saraiva

 

António José Seguro está entalado desde que assumiu a liderança do PS. Começou entalado entre a escolha de cumprir o memorando e a pressão das tropas ditas socráticas que desde inicio não lhe facilitaram a vida. Ao invés de fazer um caminho de ruptura com estes, decidiu a ruptura com o memorando. E Seguro chega ao final de Janeiro de 2013, lá está, entalado. Mas desta vez entalado entre notícias positivas para o Governo, que não fez rupturas com quem nos emprestou dinheiro, e as tais tropas (ditas) socráticas que na verdade nunca fizeram um período de nojo, passaram meses a afiar garras e facas e agora aí estão eles prontos para o ataque.

 

Mas analisemos bem o cenário actual e tentemos perceber se pelas bandas socialistas é só Seguro que está entalado. Vamos directos ao assunto, directos a quem se fala: António Costa.

O Presidente da Câmara Municipal de Lisboa tem que decidir, se já não o fez, várias coisas rapidamente. E estão todas interligadas.

Será recandidato a Lisboa? Será candidato ao PS? Há quem pergunte se será candidato a Belém …

António Costa deixou condicionar-se pela sua ambição. Tem pouca margem de manobra para sair bem no cenário, pois é tanta a encenação. Se havia dúvidas que nunca se sentiu confortável no papel de autarca e apenas olhava para a autarquia lisboeta como um trampolim, mesmo que assuma recandidatura, fica claro que assim foi e é.

A somar à ambição está o facto de António Costa não conseguir esconder que não gosta de Seguro (e percebe-se que o sentimento é recíproco) e não lhe reconhece capacidades. Sente-se melhor que Seguro, sente que é ele o “escolhido”. E uma turba de saudosistas dá-lhe gás, que se confunde com nevoeiro, criando um ambiente de sebastianismo.

 

Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.


tiro de Rodrigo Saraiva
tiro único | comentar | ver comentários (1) | gosto pois!

Quinta-feira, 24 de Janeiro de 2013
por Francisco Castelo Branco

António Costa garante que vai ao congresso. A reunião magna não está marcada mas o actual Presidente da Câmara de Lisboa já disse que vai estar presente. Na qualidade de Presidente da maior Câmara do pais ou como futuro candidato a secretário-geral do PS? E o que pensa o actual secretário-geral do PS de uma eventual recandidatura de António Costa a Lisboa? Dará o seu apoio?

Seguro já não tem margem para fugir à realidade. Se conseguir vencer os adversários internos pode ser que ainda tenha uma esperança de vir a ser Primeiro-Ministro, no entanto eu duvido porque a cama há muito que está feita. 


tiro de Francisco Castelo Branco
tiro único | comentar | ver comentários (1) | gosto pois!

Quarta-feira, 23 de Janeiro de 2013
por Fernando Moreira de Sá

Em ano de eleições Costa aumentava a despesa da Câmara. O manual tem anos e faz sentido. A oposição chumbou o documento. Costa diz que "não é um drama". Claro que não. Falhando as autárquicas Costa tem sempre as eleições internas


tiro de Fernando Moreira de Sá
tiro único | comentar | ver comentários (3) | gosto pois!

Quarta-feira, 9 de Janeiro de 2013
por Alexandre Poço

«Com propostas desta natureza daria o seguinte conselho: confirmem se é mesmo do FMI ou se é se mais um técnico falso das Nações Unidas.»

António Costa, Presidente da Câmara de Lisboa.


Uma declaração deste calibre só merece um comentário: é este o salvador do regime? A comunicação social bem o pode proteger, idolatrar e incensar, mas há coisas que nem a "boa imprensa" consegue esconder. 


tiro de Alexandre Poço
tiro único | comentar | ver comentários (4) | gosto pois!

Quinta-feira, 22 de Novembro de 2012
por Alexandre Poço

Depois de ler isto, lembrei-me que não faltará muito para o eterno candidato a salvador da República de S.Bento e/ou Belém se lembrar da influência do metano no efeito de estufa. Quando o illuminatti autarca se lembrar disso, adivinhem o tipo de medidas que aí vêm. Deixo à vossa imaginação, a liberdade de pensar em exemplos de medidas preventivas. 


tiro de Alexandre Poço
tiro único | comentar | ver comentários (1) | gosto pois!

por José Meireles Graça

Com o tempo, os protestos acentuar-se-ão: não faltam carros de antes de 2000 a poluir menos do que carros posteriores; há gente que não tem alternativa ao uso do carro velho para trabalhar; carros da mesma marca e modelo, de antes e depois de 2000, podem ter consumos diferentes, dependendo da conservação e do estilo de condução; desde que os automóveis tenham em dia a IPO, pela qual o Estado afiança que as condições de segurança e bom funcionamento estão respeitadas, não há distinção de idade que possa introduzir diferenças na liberdade de circulação; porquê 2000 e não 1998 ou 2002?; numas ruas sim, noutras não, no eixo x não, mas no trajecto y sim; para ir ao cinema não mas à vinda do teatro sim, se o espectáculo acabar depois da meia-noite; 1993, 1996, 2000, Janeiro ou Abril, ou Maio, há anos, dias, horas e agora assim e depois assado - o lisboeta não tem mais nada que fazer do que andar atento à volubilidade que faz as vezes do dinamismo na cabeça ditatorial do edil Costa.

 

A discussão casuística não me diz lá essas coisas. E como não vivo em Lisboa, raramente lá vou, e não tenho problemas em ignorar legislação iníqua, mesmo que tenha que pagar multas, não sou pessoalmente atingido.

 

Mas como é possível? Como é possível que um tipo que já foi deputado, secretário de Estado, ministro, é agora Presidente de Câmara, e de quem se diz que pode vir a ser líder do PS, ou Presidente da Republica, possa promover uma tão flagrante violação do princípio da igualdade dos cidadãos perante a Lei?

 

Entendamo-nos: não estamos a falar da proibição de circulação automóvel em certas artérias, ou em certas horas; ou de distinções entre pesados e ligeiros; ou entre carros de aluguer ou privados; ou entre transportes colectivos e privados.

 

Não. Estamos a dizer uma coisa simples: Não tens dinheiro para comprar um carro actual? Poi então és feio, porco e mau; e quero-te longe.

 

Bem, eu também tenho um problema de datas - detesto gente de Maio de 68: estão sempre a farejar o ar à procura da última moda da esquerda pateta. Ou da esquerda, ponto.


tiro de José Meireles Graça
tiro único | comentar | ver comentários (2) | gosto pois!

Terça-feira, 18 de Setembro de 2012
por Constança Martins da Cunha

António Costa dá uma ajuda ao trânsito na Avenida da Liberdade colocando um camião de limpeza urbana à uma da tarde e a 10 km/hora na única faixa disponível para circulação. De brinde oferece aos lisboetas uma lavagem ao carro. Quem é amigo? Quem é?! 

 


tiro de Constança Martins da Cunha
tiro único | comentar | ver comentários (3) | gosto pois!

Segunda-feira, 17 de Setembro de 2012
por Diogo Agostinho

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=2740009&seccao=Sul&page=-1

 

Deixo aqui o vídeo do DN. Com uma vista privilegiada sobre a Rotunda do Marquês, temos este belo cenário. 

 

Ora, após um fim-de-semana de pessoas a manifestarem-se, chega segunda-feira e temos "experimentalismo". Sim. É mesmo experimentalismo. Eu assisti à viagem de António Costa com a SIC para explicar as novas alterações ao funcionamento do Marquês de Pombal. 

 

É extraordinário que se gaste, fala-se em 1 milhão de euros, para "ver se dá" até Dezembro. Fiquei gélido com esta afirmação. Ver se dá? E é este o guru e a esperança pós-Seguro? 

 

Portanto, agora vamos aqui ver se isto resulta está bem, lisboetas? É para ver se vocês se adaptam a esta nova moda! 

 

Isto é de uma falta de respeito e decoro a todos os níveis. 


tiro de Diogo Agostinho
tiro único | comentar | ver comentários (1) | gosto pois!

Domingo, 29 de Julho de 2012
por José Meireles Graça

 

"Tenho algumas qualidades" para ser líder do PS.

 

Tem sim senhor. É o prócere do PS que mais fala de competividade e de "estratégias", o que para ele consiste em "apostas" - na Educação, nas Novas Tecnologias, nas "indústrias viradas para o futuro", no "reforço da cooperação europeia" e em qualquer outro chavão que pareça promissor, seja moderninho, progressistazinho e europeuzinho.

 

Foi deputado caseiro e em Estrasburgo, Ministro da Administração Interna, da Justiça e dos Assuntos Parlamentares, e é por agora Presidente da Câmara de Lisboa, em trânsito para outros voos.

 

Nestes lugares, e noutros, Costa granjeou prestígio e influência pela sua enorme habilidade táctica, a sua permanente bonomia e a sua palavra ponderada.

 

Acompanhou sempre Sócrates, a megalomania de Sócrates, o desparrame de despesa que pôs o País de joelhos, e todas as escolhas, recentes e antigas, que nos trouxeram ao estado em que estamos. É, neste sentido, um estadista.

 

Tem assento cativo na Quadratura do Círculo, onde consegue hebdomadariamente o prodígio de não renegar nenhuma das desgraças de que foi co-autor, ao mesmo tempo que pendura ao peito da nova Situação a responsabilidade pelas consequências.

 

Nunca fez um discurso memorável, ou uma lei avisada e original, assim como nunca pensou fora do mainstream europeísta do socialismo francês; e pode-se contar com ele para papaguear com fluência sobre a última moda de pensamento, desde que europeísta, estatista e banal.

 

Dará um óptimo Secretário-Geral do PS.


tiro de José Meireles Graça
tiro único | comentar | ver comentários (5) | gosto pois!

Sexta-feira, 4 de Maio de 2012
por jfd

* ou pura demagogia

 

Pacheco Pereira: Pingo Doce mostra "o retrato fidedigno da nova pobreza".

 

Lobo Xavier: "Há reacções automáticas das pessoas aos descontos".

 

António Costa: Caso Pingo Doce mostra que o "País está com medo".

sinto-me:

tiro de jfd
tiro único | comentar | ver comentários (5) | gosto pois!

Domingo, 15 de Abril de 2012
por José Meireles Graça

Quem passe uns dias em Londres ou em qualquer outra cidade inglesa notará uma grande quantidade de automóveis com mais de vinte, trinta ou cinquenta anos, ainda em circulação.

Não são objectos de colecção, nem os proprietários gente rica com tiques ingleses de excentricidade. Apenas sucede que o inglês médio tem mais sentido prático, e amor instintivo ao que é velho, do que os continentais.

Nestes, distinguimo-nos pela modernidade pateta, os sinais exteriores de riqueza a crédito e a prepotência das autoridades: encabeças uma organização imersa em dívidas até ao pescoço, Costa? Pois faz regime e corta nas gorduras; não venhas roubar - é de roubo que se trata - quem circula no veículo que os seus meios lhe permitem.

Sei bem que os lisboetas gostam da tua bonomia enganadora e do teu discurso redondo, senão nem te permitiam sonhar com mais altos voos, para poisos onde possas continuar a fingir que te preocupas com os pobres.

 


 

Desde que não poluam, claro.


tiro de José Meireles Graça
tiro único | comentar | ver comentários (6) | gosto pois!

Quinta-feira, 5 de Abril de 2012
por Rodrigo Saraiva
 

Foi hoje finalmente aberto à circulação o troço  que liga o túnel do Marquês à Avenida António Augusto de Aguiar. Com esta abertura serão mais carros que deixam de passar pelo Marquês de Pombal e fica assim terminada esta obra que ajudou a agilizar o trânsito nesta zona de Lisboa, poupando “dores de cabeça” e sendo um ingrediente na “limpeza” da zona da Avenida da Liberdade, considerada uma das mais poluídas da Europa.

 

E neste dia há coisas que devem ser lembradas e registadas.

 

Para começar deve ser lembrado o homem que lançou a ideia e a obra, Pedro Santana Lopes. Depois o homem que não deixou o tema cair, quando a polémica foi alta, sempre lutando pela sua conclusão, António Carmona Rodrigues.

 

E deve ser registado, com grande apreço, o gesto, e as palavras, de António Costa ao ter convidado estes dois seus antecessores na presidência da Câmara Municipal de Lisboa para a cerimónia.

 

E não pode ser esquecido o homem que fez com que a obra fosse quase de Santa Engrácia e causasse o aumento de custos e de incómodos inerentes a uma obra desta dimensão, José Sá Fernandes.


tiro de Rodrigo Saraiva
tiro único | comentar | gosto pois!

Quinta-feira, 15 de Março de 2012
por Francisco Castelo Branco

António Costa lançou ontem o seu livro. De momento está a questão da Presidência da República em causa, mas o que todos querem saber é se o ex-número 2 de Sócrates vai ou não avançar para o Largo do Rato. E o mais importante, em que  momento.

O lançamento da sua obra política não está relacionado com Belém mas sim com a Presidência do seu partido, até porque é esse o caminho natural na política. Primeiro o Rato, depois São Bento e por fim Belém.

Não há dúvida que face à fragilidade de António José Seguro como secretário geral do Partido Socialista, António Costa se posiciona para a qualquer momento avançar com a sua candidatura. Não será em 2013, até porque é muito possível que Costa vença Lisboa. O momento certo será em 2014, um ano antes das eleições e com a possibilidade do governo PSD-CDS estar desgastado pela actual conjuntura.

O lançamento de um livro é apenas a primeira jogada política para marcar terreno. Já no passado outros fizeram e deu resultado.

António Costa segue o exemplo e fica à espera, porque no fundo sabe que ele e Sócrates ainda têm o PS na mão.


tiro de Francisco Castelo Branco
tiro único | comentar | gosto pois!

por Pedro Correia

«A menos que António José Seguro se suicide, o calendário tapou as hipóteses de António Costa desde que decidiu não o afrontar no último congresso. A última sondagem colocava-o entre os putativos candidatos PS. Há destinos piores.» Ana Sá Lopes, no i.


tiro de Pedro Correia
tiro único | comentar | ver comentários (2) | gosto pois!

Segunda-feira, 12 de Março de 2012
por Rodrigo Saraiva

António Costa, o actual Presidente da Câmara Municipal de Lisboa e proeminente figura socialista com elevadas responsabilidades no período de Sócrates, decidiu compilar textos seus (artigos de opinião, discursos, etc.) e lançar um livro. Algo normal, e até banal, em quem tem ambições políticas. Podia-se analisar que uns decidem escrever algo novo e outros compilar textos, mas isso é irrelevante para uma primeira análise política. O que já não acontece com o título escolhido.

 

António Costa decidiu baptizar a obra de “Caminho Aberto”. E ao fazê-lo sabia muito bem que a pergunta teria que surgir: Caminho para onde?

 

Não é de agora que muitas pessoas apontam Belém como o objectivo de Costa e João Cravinho alinha na ideia. Costa quer fazer um remake a la Sampaio. Também sou daqueles que acreditam neste cenário. Mas não deixo de ver que muitos socialistas não querem facilitar a vida a Seguro. E caso este não sobreviva ao sufoco, visto que não tem demonstrado ter unhas para tocar a guitarra, alguém terá que ocupar o lugar de secretário-geral do PS. E nesse momento António Costa só tem duas opções. Ou assume uma candidatura a liderar o PS ou empurra um segundo Assis, demonstrando mais uma vez que antes do PS está o seu umbigo.

 

Por isso o Caminho Aberto é para whatever. E Costa sabe-o. E tudo isto lhe ocupa o pensamento. E por isso Lisboa, cidade que devia ser a sua primeira preocupação, tem vindo a perder qualidade para se viver, trabalhar e visitar.

 


tiro de Rodrigo Saraiva
tiro único | comentar | ver comentários (2) | gosto pois!

Sexta-feira, 2 de Março de 2012
por Rui C Pinto

Poucas vezes concordo com o João Pinto e Castro mas, no que toca à Câmara Municipal de Lisboa, estamos em sintonia. Não se reconhece a António Costa intervenção política recente sobre o estado de abandono quer das infraestruturas, quer da população idosa residente da cidade. 

Lisboa está refém do seu cálculo político. Porém, se bem me lembro das aulas de trampolim, quanto mais se adia o salto maior é a probabilidade de ir ao tapete... 


tiro de Rui C Pinto
tiro único | comentar | gosto pois!

Terça-feira, 7 de Fevereiro de 2012
por Rodrigo Saraiva

António Costa decidiu dar tolerância de ponto no Carnaval aos funcionários da Câmara Municipal de Lisboa. O mesmo António Costa que cancelou iluminações de Natal e festa de passagem de ano no Terreiro do Paço.

 

Sobre tradições ou iniciativas que dinamizam a economia ficamos conversados. Poderão uns dizer que uma medida não tem custos e a outra evitava-os. Mas o que está em questão é bem mais simples. Um presidente de Câmara que decide consoante sente para onde está o “vento do povo”.


tiro de Rodrigo Saraiva
tiro único | comentar | ver comentários (3) | gosto pois!

Segunda-feira, 2 de Janeiro de 2012
por Constança Martins da Cunha

 

 

 


tiro de Constança Martins da Cunha
tiro único | comentar | ver comentários (3) | gosto pois!


Regimento
outras cavalarias
tiros recentes
tiros mais comentados
cofre
tags
Arregimentados
Subscrever feeds