Terça-feira, 21 de Maio de 2013
por jfd

 

 


tiro de jfd
tiro único | comentar | gosto pois!

Quinta-feira, 18 de Abril de 2013
por Francisca Prieto
Uma pessoa encontra ideias tão boas, mas tão boas, na internet.



tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (1) | gosto pois!

Quinta-feira, 7 de Março de 2013
por Francisca Prieto

7.50 da manhã, Rita Prieto no seu melhor. "Ó mãe, ainda foi há pouco tempo que tu eras jovem, não foi?", "Ó Rita, eu ainda sou jovem", "Não mãe, a sério".

 


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (3) | gosto pois!

Quarta-feira, 13 de Fevereiro de 2013
por Francisca Prieto

Mãe ajuda Manuel Prieto a estudar para teste de inglês, sabendo de antemão que será necessário proceder a retrato físico e psicológico de uma personagem. “Olha lá para o teu irmão e diz-me como é que ele é”. Rapaz apressa-se a responder num inglês irrepreensível “he is ugly”. Segue-se a réplica “Ai é? And you are stupid and...loser”.

Mãe felicíssima por vocabulário ainda não se ter sofisticado ao ponto de incluir adjectivos do tipo “asshole” ou “duchebag”.


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (3) | gosto pois!

Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2013
por Francisca Prieto

Rapazes a assistir ao Benfica. Oiço a voz indignada do Manel Prieto "Pinto, diz-se negro, não é preto. Gostavas que a mãe fosse negra e a tratassem por preta? Gostavas??? Grande estúpido". Adoro ver o grau de tolerância e compaixão dos meus filhos para com o próximo.


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | gosto pois!

Quinta-feira, 29 de Novembro de 2012
por Francisca Prieto

Rita Prieto, no banco traseiro do carro "ó mãe, em que dia é que a Xiquinha faz anos?", "é no dia doze". Vai a miúda e entra em modo minimal repetitivo "doze, doze, doze, doze, doze, doze, doze, doze, doze, doze, doze, doze, doze, doze, doze, doze". E digo eu, já irritada "podes parar com isso, se faz favor?". "Ai, desculpa, mãe. Avariei".


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (4) | gosto pois!

Quarta-feira, 14 de Novembro de 2012
por Francisca Prieto

Estou para aqui a indagar se, na qualidade de Directora Geral da Família, deverei aderir à greve e deixar um rapaz no treino de futebol até amanhã de manhã.

(tentador, tentador)

 


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | gosto pois!

Terça-feira, 30 de Outubro de 2012
por Francisca Prieto

Xiquinha Prieto apresentou-se na farmácia puxando pela sua melhor cara trissómica. Ao balcão ofereceram-lhe logo uma fantástica mochila da Uriage, a ida à caixa rendeu-lhe duas amostras de pasta de dentes. Sou definitivamente a favor de discriminação.


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (3) | gosto pois!

Sábado, 13 de Outubro de 2012
por Francisca Prieto

Embora às vezes fujam de mim como o diabo da cruz, a rapaziada está careca de saber que o beijo maternal matinal não é facultativo. Hoje, mediante uma certa resistência, fui forçada a gritar "Vem imediatamente dar um beijo à tua velha mãe". Astuto, respondeu-me já no quarto degrau das escadas "Não vou não. A mãe não é velha". É com estas e outras que me enrolam. Sabem muuuuito.

 


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (5) | gosto pois!

Quarta-feira, 3 de Outubro de 2012
por Francisca Prieto

Nunca fui grande coisa a matemática, mas estou em crer que, na ficha do meu filho Rodrigo, o rapaz se deve ter distraído quando respondeu "5 metros" à pergunta "quanto terá de crescer o Rui para atingir a altura do João?"

 


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (2) | gosto pois!

Quinta-feira, 27 de Setembro de 2012
por Francisca Prieto

 

Cá por casa, assim que se avizinham festividades escolares, começo a abrir as mochilas dos meus filhos com a cautela de quem já foi exposto a Antrax. Se é certo que, num ano, bastou mandar um par de collants azuis para o teatro da turma, também já sucedeu terem-me exigido mascarar um filho de Bolo Rei.

 

Ora um destes dias estava à conversa com uma amiga que, a propósito destas andanças, me contou um mal entendido perfeitamente legítimo para gato que já foi escaldado. Andava o seu petiz no jardim de infância quando, por alturas do carnaval, disseram à mãe que “amanhã o João tem de vir mascarado de casa”.

A minha amiga, que até é da área de design, entrou em pânico e não se inibiu de expressar a sua indignação à educadora, salientando que aquilo não era coisa que se pedisse de véspera, que ela uma mãe que trabalhava, que lhe parecia inconcebível aquele grau de exigência, e por aí fora.

 

Chegando ao escritório, partilhou de imediato a angústia com uma colega arquitecta, na esperança de que esta, com toda a sua experiência, tivesse alguma ideia milagrosa que a salvasse do pesadelo.

Estavam as duas em pleno brainstorming, discutindo a possibilidade de utilização de diversos tipos de materiais, que iam do k-line às placas de esferovite, quando entrou o responsável de produção da agência, a quem contaram a causa de tanta azáfama.

Achando que estava perante duas loucas, o senhor calmamente esclareceu que era provável que o que a educadora pretendia era que o João chegasse ao colégio já vestido para o carnaval, ou seja, “que fosse vestido de casa”.

 

Uma história destas não me teria ficado na memória se aqui há uns tempos a minha amiga Fernanda, nada e criada em Beja, não me tivesse contado que uma vez no teatro da primária tinham vestido as meninas de monte alentejano (e já estou a imaginar o efeito em palco).

 

É por estas e por outras que suspiro de alívio sempre que põem os meus filhos a fazerem de operários, de chineses ou de homens do povo. Afinal, nos tempos que correm, sempre torna este carnaval muito mais realista.

tags:

tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (3) | gosto pois!

Segunda-feira, 24 de Setembro de 2012
por Francisca Prieto

“...então, o Lobo Mau vestiu as roupas da avózinha e prendeu-a no armário” (...blá, blá, blá...) “depois, o Caçador entrou, o Lobo fugiu a correr de camisa de noite, e o Capuchinho destrancou o armário onde estava a avó sozinha, triste, cansada....(intervém Rita Prieto de olhos esbugalhados)...E NUA”.


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (2) | gosto pois!

Quinta-feira, 13 de Setembro de 2012
por Francisca Prieto

Rita Prieto, zangadíssima: "Eu nunca, mas nunca mais falo com a mãe. NUNCA MAIS. Nem uma palavrinha". Ó meu Deus, quem me dera que cumprisse a ameaça pelo menos por um par de dias.


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | gosto pois!

Terça-feira, 11 de Setembro de 2012
por Francisca Prieto

Rodrigo Prieto viu um anão no Pingo Doce e ficou fascinado pelo tema. Ando há dois dias a responder a perguntas absurdas sobre anões e, apesar de não estar particularmente informada sobre a problemática, ontem à noite pude assegurar-lhe que um anão recém-nascido não é do tamanho de um Playmobil. Help, please.


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (5) | gosto pois!

Quarta-feira, 29 de Agosto de 2012
por Francisca Prieto

Manelito Prieto tem o grave defeito de ser um rapaz com uma grande falta de modéstia. Ele é o melhor a jogar ténis, o rei das ondas nos mares mais revoltos e o campeão dos cavalinhos de bicicleta.

Um destes dias, o irmão, farto de tanta fanfarronice, gritou-lhe: "sabes o que é que tu és, sabes? És um C-O-N-V-E-N-C-I-D-O". E apressou-se a acrescentar: "aposto que se eu escrevesse a palavra convencido no youtube iam aparecer moooontes de vídeos teus".

 


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (1) | gosto pois!

Quarta-feira, 25 de Julho de 2012
por Francisca Prieto

 

Os meus rapazes hoje estão-se a portar tão mal que temo

cometer uma loucura destas. 

Do meu lado, já estou em brasa.

 


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (3) | gosto pois!

Segunda-feira, 2 de Julho de 2012
por Francisca Prieto

O problema de se ser Directora Geral da Família é que não há ilusões quanto ao subsídio de férias. Bem, na realidade, também não há férias. E os chefes são prepotentes, gritam muito e nem sempre lavam os dentes.


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (4) | gosto pois!

Sexta-feira, 22 de Junho de 2012
por Francisca Prieto

Fui levar um caganito a uma camioneta para ir jogar futebol a Passos Brandão e não consegui evitar verter uma lágrima e abanar os braços até o veículo virar a esquina. Nunca esperei isto de mim, sinceramente.


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (15) | gosto pois!

Quarta-feira, 6 de Junho de 2012
por Francisca Prieto

(face a um desenho)

"Ai que linda que eu estou, Rita, até me fizeste uns caracolinhos". " Não são caracolinhos, mãe, são piolhos".

Obrigadinha, é o que me ocorre. Raismapartam.


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (1) | gosto pois!

Sexta-feira, 18 de Maio de 2012
por Francisca Prieto

Rita Prieto: "Mãe, queres brincar aos castelos? Eu sou a rainha, tu és a majestade e a Xiquinha é o monstro".

Estou estupefacta com a sensibilidade inclusiva desta minha filha.


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (5) | gosto pois!

Segunda-feira, 7 de Maio de 2012
por Francisca Prieto

 

Como escrevinhadora fico com os nervos de pantanas com as gralhas que se infiltram pelos textos que nem térmitas ou com as falhas de concordância que se transmutam a seu bel prazer a cada revisão, e dá-me ganas de fazer um curso de harakiri quando me apercebo de um deslize de ortografia daqueles de palmatória que dariam direito a usar orelhas de burro se ainda andasse na escola primária.

 

Como mãe, detectei, no entanto, um quarto inimigo da expressão escrita. Ora uma progenitora de vasta prole vê-se obrigada a dar asas à sua verve ou debaixo de fogo cerrado (posso comer um chocolate? posso, posso, posso, posso? Mãe, mãae, mãaae, mãaaaaae, mãaaaaaaaaaaaae. quero fazer cocó. tenho fome. preciso de um lápis) ou à noitinha, muito à noitinha, quando a cabeça já atingiu um estado de centrifugação a 1400.

A consequência, não sendo grave, pode tornar a retórica estapafúrdia. Ainda um dia destes recebi um par de emails de perfeitos desconhecidos a avisar-me de que tinha apresentado o meu filho Manel como “o progenitor”, o que não fazia lá muito sentido dado que o rapaz só tem dez anos e ainda não entrou na puberdade. É evidente que à meia-noite de um domingo, numa cabeça centrifugada, um primogénito é muito facilmente tomado como irmão gémeo de um progenitor e que, só na segunda feira, se tornará claro o incesto do parentesco.

 

Isto para vos rogar, caros leitores, que se um dia destes, no meio de uma frase bucólica em que “Pedro dava a mão a Leonor (está quieto, não mexas aí) enquanto cruzavam o olhar cúmplice (queres agrafar um dedo, é?) de quem sabe ter encontrado o verdadeiro amor (eu avisei, não avisei?)”, vierem a dar conta de elipses despropositadas, façam a caridade de avisar esta que por ora vos escreve, à meia noite de domingo.


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (1) | gosto pois!

Domingo, 6 de Maio de 2012
por Francisca Prieto

Mediante a infindável lista de eventos desportivos a que vários membros da família queriam assistir durante este fim de semana, na tentativa de conseguir salvar algumas horas para actividades mais culturais, atrevi-me a sugerir que, no Sábado à noite, se disputasse uma partida Sporting-Potro.


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | gosto pois!

Segunda-feira, 9 de Abril de 2012
por Francisca Prieto

 

À nascença calhou-me na lotaria ser bafejada com uma grande, unida e bem disposta família. E, não obstante ao longo dos anos ter andado à chapada com as minhas estimadas irmãs sempre que se afigurou necessário, é verdade que não há semana em que não sejam trocados vários telefonemas de prolongada duração onde ficamos a saber montes de pormenores das vidas uns dos outros.

 

Não é linear que, em caso de avaliação, o grau de importância dos temas das conversas fosse considerado o mais relevante por alguém de outro apelido, já que pode acontecer, por exemplo, um de nós estar com uma gripe de caixão à cova mas esquecer-se de o mencionar porque ligou só para partilhar um trocadilho hilariante que acabou de passar num filme argentino.

 

Os meus filhos costumam ignorar este transe familiar e, ao fim de uns quantos minutos, falam comigo como se eu não tivesse um aparelho agarrado ao ouvido e não estivesse, efectivamente, em pleno diálogo com terceiros.

 

Ora na semana passada, tinha eu desligado uma destas chamada infinitas onde se falava de um par de livros e se recomendavam outros tantos filmes quando o Prietito mais velho comenta que, apesar de não saber com quem eu estava a falar, estava capaz de jurar que era com o tio Zé. Eu ri-me, confirmei as suas suspeitas e aproveitei para me lançar na evangelização de Caim e Abel. Que um dia gostaria muito de ver os meus quatro filhos a serem amigos, a ajudarem-se uns aos outros, enfim, a manterem contacto regular. E, na esperança de lhes dar uma imagem mais explícita, perguntei ao Rodrigo se ele não achava giro daqui a uns trinta anos fazer como eu e o tio Zé e pegar no telefone para ligar ao Manel.

 

O Manel, que é o primogénito e que, desde tenra idade, nunca percebeu onde é que nós estávamos com a cabeça quando resolvemos levar aquele anormalóide lá para casa, fez uma cara horrorizada e apressou-se a responder: “aviso já que se ele me ligar eu não atendo”.

 


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | gosto pois!

Quarta-feira, 7 de Março de 2012
por Francisca Prieto

Acabo de ver um filho a sair furibundo pela porta. Ajudando-o a estudar os parentescos para o teste de amanhã, perguntei-lhe o que é que eu era à tia Lucas. O rapaz, depois de muito pensar, respondeu com ar interrogativo: "NOGRA?". A capacidade para cara de poker de uma mãe tem limites, ora bolas. Não consegui evitar a explosão numa gargalhada estrondosa.


tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | ver comentários (2) | gosto pois!

Sexta-feira, 2 de Março de 2012
por Francisca Prieto

 

 

Passo os olhos por um estudo da Procter & Gamble que me oferece suporte científico para alguns dados curiosos que, empiricamente, já tinha verificado (ler sofrido) na pele.

 

O estudo debruça-se sobre o papel que as mães desempenham na nova sociedade e verbaliza, muito rapidamente, aquilo que eu tenho vindo a personificar de há vários anos para cá: que as mulheres estão a abandonar progressivamente o papel de esposas e mães para assumirem uma postura de gestoras da família.

Este dado é tão factual cá para as minhas bandas que, ainda um dia destes, estando com dificuldades em conseguir tempo de antena com o meu sócio, lhe telefonei a sugerir que agendássemos uma Assembleia Geral de Sócios para fechar vários assuntos pendentes. E assim se reuniu o Conselho de Administração, a uma sexta-feira à noite, num restaurante perto de casa mas longe das vozes reivindicativas dos colaboradores. 

Costumo queixar-me frequentemente do invisível salário e da ausência de subsídios, bem como dos trabalhos forçados nas férias e da má criação do staff, sendo que o episódio que anualmente mais me transtorna é o facto de o jantar de Natal da empresa ser a própria consoada.

 

Porém, mais para a frente, o estudo fornece um dado reconfortante: que as mães portuguesas são as que recebem mais sinais de gratidão dos seus filhos, entre os países da Europa Ocidental.

Posso afiançar que, em relação a esta conclusão, há 75% de verdade neste lar português. Três quartos da minha descendência atafulha-me diariamente com abraços, palavras meigas ou simples sorrisos. Há porém 25% da amostra que se afasta da maioria e que encara a progenitora como um mal necessário, uma servente com quem co-habita e que podia claramente desempenhar melhor as suas funções.

 

Por último, o estudo afirma que, quando interrogadas sobre a forma como preferem ser agradecidas, as mães portugueses escolhem o “abraço” (71%) como a melhor forma de agradecimento, seguido de um “obrigado” (13%), e que apenas 3% das mães desejariam ser agraciadas com umas “férias/intervalo” como bónus.

 

Não me convidaram para o painel, obviamente.

tags:

tiro de Francisca Prieto
tiro único | comentar | gosto pois!


Regimento
outras cavalarias
tiros recentes
tiros mais comentados
15 comentários
5 comentários
5 comentários
5 comentários
4 comentários
4 comentários
3 comentários
3 comentários
3 comentários
cofre
tags
Arregimentados
Subscrever feeds