Terça-feira, 2 de Abril de 2013
por jfd

Sócrates não arrastou consigo apenas uma tempestade política com este seu retorno a Portugal. Trouxe também as condições meteorológicas ideiais para provar o seu ponto de aposta nas renováveis. Eu acho muito bem. Até já exportamos energia!

Bendito seja!

 

(...)

O que não é normal, segundo as mesmas fontes, é estarmos já no sexto dia consecutivo (27 de março a 1 de abril) com o sistema eletroprodutor quase 100% assente em fontes de energia renováveis, com destaque para as eólicas e para as barragens.

Outra nota de destaque vai para o facto de em todos esses dias Portugal ter produzido mais do que necessitava para consumo interno, o que acabou por resultar num incremento das exportações de eletricidade.



tiro de jfd
tiro único | comentar | ver comentários (7) | gosto pois!

Quinta-feira, 28 de Março de 2013
por Pedro Correia

José Sócrates tem, naturalmente, todo o direito à palavra. Ninguém aliás lhe negou esse direito: o ex-primeiro-ministro quebrou só agora o silêncio porque assim o entendeu. E vai voltar a quebrá-lo em sessões contínuas no canal público de televisão, algo sem paralelo na Europa. Ninguém imagina Tony Blair a analisar a governação de David Cameron como comentador residente da BBC, ou José Luis Zapatero a fazer marcação a Mariano Rajoy com púlpito semanal na TVE, ou Nicolas Sarkozy a dissecar regularmente os actos de François Hollande como animador político nos estúdios da France 2.

O problema de Sócrates não é o silêncio. O problema não é sequer esta originalidade tão portuguesa de ter como comentadores televisivos, como se fossem figuras isentas, alguns dos maiores protagonistas da cena política doméstica, que a todo o momento teriam necessidade de fazer declarações de interesses: afinal de contas, só os escuta quem quer.

O problema de Sócrates é surgir como um insólito plágio de si próprio. Para ter verdadeira eficácia, precisaria de ser um Sócrates reinventado. Precisaria de surpreender os portugueses, recriando-se como figura pública neste seu regresso ao comentário televisivo num remake do tirocínio mediático que o guindou à liderança do PS, em 2004.

Mas, na longuíssima entrevista à RTP, surgiu afinal o Sócrates de sempre.

A entrevista esgotou-se num anacrónico regresso ao passado, transportando-nos a 2011. E serviu para confirmar como a vida política acelera de forma vertiginosa. Foi apenas há dois anos e parece ter sido há duas décadas.

Na política, como no teatro, é fundamental não falhar o tempo - por lentidão excessiva ou manifesta precipitação. Sócrates é um actor consumado, mas ficou-me a sensação de que falou no tempo errado. Algo ainda mais estranho porque foi ele mesmo que o escolheu.

Também aqui


tiro de Pedro Correia
tiro único | comentar | ver comentários (6) | gosto pois!

Quinta-feira, 21 de Março de 2013
por Francisco Castelo Branco

O anunciado regresso de Sócrates à vida política só tem um propósito: o Palácio de Belém. Na minha opinião, o ex-PM não se submetia a ser comentador senão tivesse uma ambição muito grande de ser Presidente da República. O timing e a forma são perfeitos, embore eu considere que os portugueses ainda não se esqueceram da porcaria que ele fez. Mas com o tempo......


tiro de Francisco Castelo Branco
tiro único | comentar | gosto pois!

por jfd

Corre uma petição contra a presença de José Sócrates na RTP.

Um autêntico disparate no meu entendimento.

O senhor que venha comunicar. Tem esse direito. E assim como pedi respeito ao ex-PM Santana Lopes, também o faço para o ex-PM Sócrates.

Agora, que não se misture respeito com direito à crítica e ataque político.

É muito interessante assistir aos editoriais, opiniões e pseudo-opiniões. O twitter então está um festim.

 

 

Será que Seguro vai interromper a primeira entrevista a José Sócrates?

 


tiro de jfd
tiro único | comentar | ver comentários (6) | gosto pois!

por Alexandre Poço

A comunicação do governo ganha hoje um eficaz aliado: José Sócrates regressa para ser comentador político na RTP


tiro de Alexandre Poço
tiro único | comentar | ver comentários (2) | gosto pois!

Quinta-feira, 3 de Janeiro de 2013
por jfd

Tenho muito respeito por Edite Estrela:

a) porque me ensinou a falar melhor português

b) porque me ensinou a escrever melhor português

c) porque sempre me ignorou como troll no seu twitta e nunca me bloqueou

d) porque sabe marcar jantares com classe e gente importante

 

Só tenho pena que ainda não haja a versão Novo "Edite Estrela" Acordo....

 


tiro de jfd
tiro único | comentar | ver comentários (1) | gosto pois!

Segunda-feira, 5 de Novembro de 2012
por Diogo Agostinho

... que grande resposta deu Manuela Moura Guedes ao Senhor Pinto de Sousa: "é um simples cidadão a "quem não reconhece a qualidade para difamar" a si e à equipa da TVI responsável por uma série de notícias sobre a conduta do então primeiro-ministro."


tiro de Diogo Agostinho
tiro único | comentar | ver comentários (1) | gosto pois!

Sábado, 23 de Junho de 2012
por José Meireles Graça

 

Saudades de Sócrates: o país tinha um homem forte e determinado ao leme, trabalhador incansável e orador notável. Num dia típico, ia de manhãzinha a Vila do Conde salvar a Qimonda, antes do almoço inaugurava um troço de autoestrada, de tarde esmagava a oposição apresentando luminosos projectos de desenvolvimento com TGVês, programas tecnológicos, energias renováveis, computadores para as escolas, elas própria remodeladas com gosto e luxo, e, à noite, não descurava a cultura, indo ver uma peça teatral, ou um filme que não se teria feito sem o patrocínio do Estado - bons tempos.

Não deve ter havido governante, desde os tempos de Fontes Pereira de Melo, que tantas primeiras pedras tivesse lançado de tanto investimento que nos iria tirar do nosso atávico atraso. E por isso, e porque as pedras ainda as temos todas ao pescoço, não conseguimos esquecê-lo.

Fez escola e deixou seguidores, e não apenas entre os seus correligionários. De quando em vez, vemos relampejar nos lugares mais inesperados o espírito Sócrates.

Por exemplo: os pescadores da Afurada estão desde sempre segregados dos esplendores da Foz, separados pelas revoltas e traiçoeiras águas do Douro? Há condutores que chegam, na Ponte da Arrábida ou do Freixo, em horas de ponta, a esperarem para cima de meia hora? As cidades do Porto e Vila Nova de Gaia estão incompreensivelmente separadas, quando, se estivessem juntas, qualquer delas ficava maior?

Nada que três pontes e um túnel não resolvam. Fallait y penser.

É o que Luís Filipe Menezes diz. Porém, a mim ocorreu-me, sem pôr em causa a necessidade ingente de unir as duas cidades, que haveria talvez um processo mais radical de conseguir aquele desiderato: bastaria encanar o Douro, entre a Foz e o Freixo, urbanizando o larguíssimo espaço por cima do cano e assim subtraindo a uma natureza hostil milhares de hectares. Ficaria talvez um pouco mais caro mas as boas ideias - não é verdade? - não têm preço. 


tiro de José Meireles Graça
tiro único | comentar | gosto pois!

Sexta-feira, 9 de Março de 2012
por João Espinho

E poucos são aqueles que têm sabido resistir-lhe: ajustar contas com o passado (ou com os adversários) escrevendo autobiografias que só servem para alimentar o ego e relatar episódios que, em princípio, são desconhecidos do grande público. 

Há também esta moda dos presidentes compilarem discursos e, moda mais recente, de tentarem fazer um balanço autobiográfico das suas viagens, passeios ou "roteiros". Aquilo que deveria ser o tronco essencial das "memórias" reparte-se assim por vários volumes, de consulta e efeito rápidos.

O caso de Cavaco Silva torna-se mais grave, pois decidiu-se a "fazer história" num prefácio de  duvidosa oportunidade. Para quem acompanhou o "casamento" entre o actual Presidente e o anterior Primeiro-Ministro, o azedume vindo agora a lume não faz sentido e só pode indiciar que Cavaco Silva se prepara para fazer política dura, ele que se se diz pouco talhado para a política. Aguardemos  pelos próximos capítulos dos roteiros de Cavaco Silva onde ficaremos a conhecer melhor os contornos desta coabitação com Passos Coelho. E espera-se que o Volume 7 de Roteiros não tenha prefácio. Para bem de todos nós.

 


tiro de João Espinho
tiro único | comentar | ver comentários (2) | gosto pois!

por Rodrigo Saraiva

as comunicações entre Lisboa e Paris agora são feitas através de prefácios.


tiro de Rodrigo Saraiva
tiro único | comentar | ver comentários (2) | gosto pois!

Sábado, 21 de Janeiro de 2012
por Rodrigo Saraiva

na capa do Expresso:

 


tiro de Rodrigo Saraiva
tiro único | comentar | ver comentários (2) | gosto pois!

Terça-feira, 22 de Novembro de 2011
por Ricardo Vicente

Exercício: Dos três elementos seguintes, indique quais são os dois legitimamente comparáveis (ou mais semelhantes entre si) e exclua o terceiro.

 

Elemento A: um socialista que nos últimos 16 anos fez parte dos governos durante 12 anos e 8 meses, 6 anos e 3 meses dos quais enquanto Primeiro Ministro.

Elemento B: um socialista que nos últimos 24 anos fez parte dos governos durante 10 anos e 4 meses, dos quais 4 anos e 11 meses enquanto Primeiro Ministro.

Elemento C: um político que nunca foi apelidado de socialista (em vez disso, um "perigoso liberal") e que nos últimos 16 anos esteve um total de 5 meses no governo ("sempre" como Primeiro Ministro).

Resposta de Nuno Santos Silva do Senatus: B e C.


Classificação final de Nunto Santos Silva: zero valores.


tiro de Ricardo Vicente
tiro único | comentar | ver comentários (1) | gosto pois!

Quarta-feira, 16 de Novembro de 2011
por João Gomes de Almeida

 

 De referir que o Eusébio esteve lá quase mas não conseguiu e que o Daniel Oliveira foi a surpresa da votação, ao ter uma percentagem de votos bastante superior ao BE nas últimas eleições e quase a igualar o número de votos do seu partido nas regionais da Madeira.


tiro de João Gomes de Almeida
tiro único | comentar | gosto pois!

Sexta-feira, 14 de Outubro de 2011
por Pedro Correia

«Com acusações tão graves, Sócrates devia aparecer e explicar-se. Não cabe a outros, cabe a ele. Devia dar a cara. É chocante que possa andar num refúgio a estudar filosofia na hora que passa.»

Carlos Albino, no blogue Notas Verbais


tiro de Pedro Correia
tiro único | comentar | ver comentários (13) | gosto pois!

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2011
por Pedro Correia

«O País está a fazer o seu trabalho e bem. O défice abaixo de 7,3% em 2010 é provavelmente o primeiro resultado que o País apresenta como estímulo à confiança dos mercados internacionais.»

«O Governo português não vai pedir nenhuma ajuda financeira, pela simples razão que não é necessário. Portugal tem condições de se financiar no mercado.»

José Sócrates, 11 de Janeiro de 2011

 

«Portugal não precisa de nenhum fundo de resgate ou de ajuda externa.»

José Sócrates, 25 de Março de 2011


tiro de Pedro Correia
tiro único | comentar | ver comentários (13) | gosto pois!

Domingo, 2 de Outubro de 2011
por Pedro Correia

 

José Sócrates e Alberto João Jardim

(Foto Diário de Notícias, 2010)


tiro de Pedro Correia
tiro único | comentar | ver comentários (12) | gosto pois!

Terça-feira, 6 de Setembro de 2011
por Pedro Correia

 

José Sócrates tomou posse do cargo de primeiro-ministro, sucedendo a Pedro Santana Lopes, a 12 de Março de 2005. Imaginemos, por momentos, o seguinte cenário: decorridos apenas 78 dias, a 29 de Maio desse ano, três antigos secretários-gerais do PS surgiam em público a disparar críticas contra o Governo socialista. Vítor Constâncio, por exemplo, contestaria num artigo de jornal a diminuição das deduções fiscais com palavras deste género: «O que se ganha com a diminuição das deduções não compensa o que se perde em tributação de rendimentos.» António Guterres saía a terreiro, num canal televisivo, afirmando o seguinte: «Um dia destes não temos classe média.» E Ferro Rodrigues, para não ficar atrás dos outros dois, denunciaria - também numa televisão - as alegadas "provas de insegurança e de fraqueza" dadas pelo Governo.

Claro que nada disto aconteceu: nos momentos decisivos, o PS funciona sempre como um partido coeso. E nenhum momento é tão decisivo como o início de funções de um Governo. Seja o anterior, seja o actual - que tomou posse há 78 dias.

A propósito de datas: José Sócrates faz hoje 54 anos. Muitos parabéns, senhor engenheiro.


tiro de Pedro Correia
tiro único | comentar | ver comentários (10) | gosto pois!


Regimento
outras cavalarias
tiros recentes
tiros mais comentados
cofre
tags
Arregimentados
Subscrever feeds