Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Forte Apache

A Semana que Passou: As Nomeações do Público

Ricardo Vicente, 22.01.12

Ainda a propósito do caso das contas do Público relativas às nomeações políticas...

 

O problema de se fazer comparações metodologicamente erradas é muito comum, o que nem sempre acontece é ser dada tanta projecção mediática a uma notícia baseada em erros crassos. De certa forma, este erro do Público (assumindo sempre que não foi intencional...) foi possível porque há sempre muita tolerância a este tipo de erros: é normal ler semana sim semana sim exemplos destas "comparações" sem que surja alguém a apontar o erro. Se é habitual que saiam artigos baseados nesse tipo de comparações e se é normal que se tolerem tais erros, é mais do que provável que um dia ou outro venha a acontecer um caso destes: uma comparação errada que, por ter sido enfatizada pelo próprio jornal que a publicou, suscitou suficiente atenção ao ponto de vários leitores, blogadores e outros desta vez repararem no erro. Mas nem sempre é assim.

 
Há uns tempos atrás surgiu a notícia de que Teixeira dos Santos era o pior Ministro das Finanças da União Europeia. Li a fonte da notícia - era um artigo do Financial Times - e decidi ler e compreender com cuidado a metodologia que lhes permitiu chegar àquela conclusão. Na minha opinião, repito opinião, Teixeira do Santos foi um político/tecnocrata miserável por todas as razões (resultados maus, incompetência, fraqueza). Porém, atendendo à metodologia (comparações ilegítimas, etc.), aquela notícia não tinha cabimento. No entanto, ainda hoje se lêem referências e alusões àquele "estudo" que, na verdade, não passava de um exercício metodologicamente ridículo. Não que fosse difícil defender a ideia de que Teixeira dos Santos era um político péssimo. Mas tal argumento, qualquer argumento não pode ser baseado em "estudos" sem seriedade nem correcção.