Segunda-feira, 2 de Abril de 2012
por João Gomes de Almeida

Em Portugal existem duas direitas: a do passado e a do futuro. A primeira conservadora no "mau sentido" da palavra, tacanha, retrógrada e com laivos de catolicismo reaccionário do tempo da outra senhora. A segunda marcadamente liberal, economicamente e no campo dos costumes.

A diferença entre uma e outra, é que a segunda acha que o estado não deve interferir e regular a vida privada das pessoas. Defender valores não é necessariamente obrigar as outras pessoas, através do poder coercivo do estado, a segui-los. O CDS este fim-de-semana, felizmente, deu a prova de estar cada vez mais próximo da segunda opção e mais longe da primeira. É caso para dizer: graças a Deus.

tags:

tiro de João Gomes de Almeida
tiro único | comentar | gosto pois!

4 comentários:
De Cobarde a 2 de Abril de 2012 às 12:16
E qual passa a ser a diferênça com o PSD?


De Nelson Mendes a 2 de Abril de 2012 às 13:40
Existe uma divisão mais simplista, entre a Direita dos Valores e a Direita dos Interesses, mas vou aceitar a perspectiva optimista da coisa.
Veremos o que acontecerá no Caso Ribeiro e Castro para fazer a prova-dos-nove.
Cumprimentos


De Miguel Félix António a 2 de Abril de 2012 às 15:36
O que é o Estado não dever interferir e regular a vida privada das pessoas?

Alguém me explica?


De Cobarde a 2 de Abril de 2012 às 15:44
Um gajo esquece-se de assinar e é logo apelidado de cobarde.
O Ribeiro e Castro vai ser punido ou então magnanimamente "perdoado", mas ao que parece não se livrou de ser enxovalhado...
O CDS é cada vez mais a direita dos interesses. por isso é que pergunto qual d iferença para o PSD?
José Lopes


comentar tiro

Regimento
outras cavalarias
tiros recentes
tiros mais comentados
cofre
tags
Arregimentados
Subscrever feeds