Sábado, 23 de Junho de 2012
por Maurício Barra

O timing e a reacção coordenada que tivemos a oportunidade de presenciar em resposta à decisão da ERC sobre o "caso Miguel Relvas" denuncia a campanha organizada em que a mesma se consubstanciava, a toque de caixa de elementos do BE, do PC, do sindicato dos jornalistas e de alguns nostálgicos socráticos, utilizando as antenas que têm no Público, Expresso, SICN e com apoio da tartamuda indigente que quase diariamente debita na TVI, assim como da pasionária que ali oficia às sextas-feiras (dá-me um particular gozo a faena com que CAA volteia todas as semanas as investidas de AG).

Esta questão de coisa nenhuma sobre coisa nenhuma, que pôs aos gritinhos e à beira de um ataque de nervos o boudoir do Público, faz-me lembrar outra campanha do género, no Verão de 2008. Nessa altura o José Manuel Fernandes "enfiou a carapuça", o Presidente da Republica " perdeu o tino ", ficou instaurada a confusão que encobriram as últimas eleições ganhas por Sócrates, a mentir e a ocultar a realidade aos portugueses, e teve como efeito colateral a substituição da direcção do Público por estas senhoras "nervosas " que transformaram o melhor diário português num tablóide de esquerda em corrida acelerada para a falência técnica.


tiro de Maurício Barra
tiro único | gosto pois!

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




Regimento
outras cavalarias
tiros recentes
tiros mais comentados
cofre
tags
Arregimentados
Subscrever feeds