Terça-feira, 4 de Outubro de 2011
por Marta Elias

Aviso: Qualquer semelhança entre as palavras aqui escritas e um texto cientifico é pura coincidência.

 

Reino: Animalia

Classe: Mammalia

Género: Homo Sapiens Sapiens

Família: Hominidae

Espécie: Primata bípede

Sub espécie: Homo Sapiens Sapiens Selvagem - Macho

 

Distribuição

Esta espécie tem ampla distribuição geográfica, sendo nativa da Europa, Ásia e Norte de África. Mais recentemente foi introduzida nas Américas e na Oceania. Hoje, já só pode ser encontrada em liberdade nos rios e pântanos do continente africano, principalmente nas zonas mais húmidas e meridionais. Vive em grupos, que podem atingir os milhares de indivíduos.

 

Características Fisicas:

O corpo do Homo Selvagem é robusto, com pernas relativamente curtas. Apesar do cérebro diminuto, tem uma cabeça grande e arredondada, sem cabelo no topo, com olhos pequenos e juntos. Um Homo Selvagem adulto pode medir em média entre 1,50m e 1,70m. O seu peso médio pode variar entre os 80 e os 120 kg, mas poderá ir até aos 250K, dependendo da dieta. A grande barriga característica do Homo Selvagem adulto é constituída por vários pneus unidos entre si por pele coberta de pelos escuros, encaracolados e espessos que, aliás, cobrem a quase totalidade do seu corpo. Na Europa os exemplares do norte tendem a ser mais pesados que os do sul. As orelhas e o nariz são providos de enormes pelos que se projetam para fora e crescem continuamente. O macho dominante ostenta geralmente uma espessa camada de pelos sobre o lábio superior, chamada bigode.

 

Hábitos alimentares

O Homo Selvagem passa grande parte do dia em busca de comida que consome em grandes quantidades. É um animal omnívoro, com preferência por matéria animal como carne de vaca ou de porco. No entanto também consome outros alimentos como feijão, batata, bóia de pão com molho de guisado, tremoços e caracóis. A sua dieta inclui igualmente grandes quantidades de cerveja e vinho tinto, assim como bagaceiras e aguardentes. O consumo exagerado destes líquidos tem no Homo Selvagem um efeito denominado bebedeira, que origina comportamentos agressivos e faz com que passe muitas noites a dormir no sofá ou na esquadra mais próxima.

 

Comportamento

O Homo Selvagem é de comportamento pouco sociável e bastante territorialista. Reúne-se em grupos patriarcais, normalmente com três a cinco elementos, formados pelas fêmeas e crias, embora possam ser encontrados grupos superiores a vinte indivíduos. A fêmea fica sempre um pouco afastada do grupo e é ela que se encarrega da sobrevivência dos restantes elementos. Os jovens machos, chamados chungas, vivem na periferia do grupo.

O grunhido do Homo Selvagem chama-se arroto.

 

Quotidiano

O Homo Selvagem prefere zonas rurais ou urbanas desde que com baixa densidade populacional, para que possa facilmente controlar o quotidiano dos vários elementos do grupo. É geralmente sedentário e descansa grande parte do dia. Aparentemente tranquilo quando se encontra dentro de casa, onde se sente em total segurança, pode transformar-se numa verdadeira besta quando sai dela. Tudo o que encontrar pelo caminho será arrasado por impropérios e, por vezes, gestos obscenos. De noite gosta de recolher cedo para passar horas defronte do televisor, sozinho ou acompanhado por outros machos, mas sempre rodeado do mais completo silêncio. Nestas ocasiões assiste a todos os jogos de futebol, que analisa com alma de treinador e contra os quais berra e pragueja.

Durante este tempo segura firmemente o comando da tv na mão direita e com a esquerda ocupa-se de um dos hábitos que caracterizam melhor o Homo Selvagem: a chamada cossação da genitália, hábito que enfurece especialmente as fêmeas e que podem inclusivamente levá-las a proferir algum ruído no decorrer das transmissões do jogo. Neste caso o macho geralmente torna-se agressivo e pode mesmo chegar a dar-lhe um par de chapadas.

Quando defeca, o macho lê revistas ou jornais sobre futebol. Este hábito faz com que o ato se prolongue por largos minutos, libertando-o assim da interação com os restantes elementos do grupo. Por outro lado, ele aprecia extraordinariamente o ruído característico dos gases que liberta, ao ponto de soltar sonoras gargalhadas de cada vez que o escuta, mesmo quando se encontra sozinho.

Como não tem predadores naturais, o único perigo para o Homo Selvagem advém da sua própria espécie. São muito frequentes as quezílias entre estes animais, que podem mesmo culminar na morte de um deles.

 

Reprodução

Na Europa o tempo de reprodução vai de Janeiro a Janeiro, quando os machos adultos solitários procuram fêmeas recetivas. O ritual da busca chama-se “engate” e é bastante complexo e primitivo. Ao encontrar uma fêmea que lhe agrade, o macho Homo Selvagem persegue-a, lança-lhe piropos vulgares e, por vezes, escarra-lhe para os pés. Quando o interesse é grande, aproxima-se e roça a sua genitália nos quadris da fêmea, gesto que, por vezes, irrita outros machos e dá origem a lutas ferozes, das quais saem, quase sempre, ambos feridos.

Em alguns casos o Homo Selvagem fica confuso e sente inclinação por praticar “engate” com outro Homo Selvagem. Nesta situação os restantes machos do grupo expulsam aqueles e dão-lhes o nome de “panasca” ou “paneleiro de merda”.

 

A gestação dura cerca de 280 dias, com os nascimentos a ocorrerem em qualquer altura do ano. As fêmeas têm entre uma e duas crias, que pertencem exclusivamente à mãe. Durante este período o Homo Selvagem altera ligeiramente os seus hábitos, tornando-se menos caseiro e um pouco mais sociável para com as outras fêmeas, aumentando o consumo de cerveja e o visionamento de filmes pornográficos.

O desmame das crias macho ocorre geralmente por volta dos 35-40 anos, mas por vezes não chega a ocorrer.

A maturidade sexual é alcançada cerca dos 30 anos, ainda que, nos dias de hoje, nem sempre aconteça. O tempo de vida médio do Homo Selvagem é de cerca de 75 anos em cativeiro.

O Homo Selvagem, a par com o javali, é o único animal mamífero que, devidamente estimulado, pode ejacular depois de morto.

 

Este texto não é roubado a nenhum brasileiro, só está de acordo com a nova grafia.


tiro de Marta Elias
tiro único | comentar | gosto pois!

6 comentários:
De css a 4 de Outubro de 2011 às 15:46
Adorei. Parece mais um capítulo da Causa das Coisas.
Definitivamente, este blog é um excelente pouso para procrastinação.


De Inês Tavares a 4 de Outubro de 2011 às 21:01
rotfl!


De Pedro Correia a 4 de Outubro de 2011 às 22:18
Bem-vinda!


De Luciano de Carvalho Costa a 4 de Outubro de 2011 às 22:21
Ainda que a parte dessas afirmações que são caluniosas fossem mesmo verdade, continuaríamos irresistíveis!... Verdade?


De Inês Tavares a 6 de Outubro de 2011 às 21:13
Claro! Que eu não alinho em modernices...


De Costa a 5 de Outubro de 2011 às 00:08
Mas é uma pena. Uma pena que o texto esteja de acordo essa tal de nova grafia.

Quanto à substância, lê-se com delícia.

Costa


comentar tiro

Regimento
outras cavalarias
tiros recentes
tiros mais comentados
cofre
tags
Arregimentados
Subscrever feeds