Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Forte Apache

Capítulo 2º - O Homo Doméstico

Marta Elias, 10.10.11

Reino: Animalia

Classe: Mammalia

Género: Homo Sapiens Sapiens

Família: Hominidae

Espécie: Primata bípede

Sub espécie: Homo Sapiens Sapiens Doméstico - Macho

 

Distribuição

Esta espécie tem fraca distribuição geográfica. Sendo nativa da Europa, existe também nas Américas e na Ásia. Só pode ser encontrada em grandes cidades e zonas urbanas com grande densidade populacional. Vive em grupos de pequenas dimensões.

 

Características Físicas:

O corpo do Homo Doméstico é elegante e musculado. A cabeça é pequena e redonda, com a maioria dos exemplares a apresentarem ausência total de cabelo. Na fronte apresenta uma excrescência denominada “óculos escuros” ou óculos graduados”, consoante se encontra no interior ou no exterior de edificios. Possui mãos e pés longos, suaves e desprovidos de cutícula. Um Homo Doméstico adulto pode medir entre 1,75m e 1,95m. O seu peso pode variar entre os 75 e os 90 kg, mas poderá ser muito inferior, dependendo da dieta. O Homo Doméstico apresenta quase sempre uma zona abdominal extremamente definida denominada "six pack".

Uma das principais características desta espécie é o masochismo. Este manifesta-se de várias formas, sendo a principal, o arrancamento integral dos pelos corporais com tiras de cera.

 

Hábitos alimentares

O Homo Doméstico come muito pouco. É um animal omnívoro, se bem que manifesta grande preferência por peixe cru, vegetais com nomes estrangeiros e tudo o que tenha a palavra gourmet na designação. Alimenta-se precisamente de duas em duas horas, sabe como utilizar grande variedade de talheres e come arroz com pauzinhos. A sua dieta inclui igualmente pequenas quantidades de champanhe, sangrias leves, sumos naturais temperados com gengibre e quantidades moderadas de cocaína. O consumo exagerado desta última tem no Homo Doméstico o efeito de o fazer sentir-se poderoso e invencível, comportamento que o priva do sono, originando conflitos e enfartes de miocárdio.

 

Comportamento

O Homo Doméstico é de comportamento muito sociável, mas em casa reúne-se em grupos de dois ou três elementos. Nestes grupos geralmente não existem crias, ou existem em reduzidas porções, mas as fêmeas são bem toleradas.

O Homo Doméstico é dotado de um vocabulário escasso, constituído por apenas algumas palavras em português, como noite, alergia, tema, moda e dinheiro e mais meia dúzia em línguas estrangeiras – shampoo, performance, timing, gourmet, Bluetooth, design, internet, style e uma quantidade bastante considerável de apelidos e nomes de medicamentos. 

O Homo Doméstico interage com outros Homo Domésticos fundamentalmente através de utensílios sofisticados denominados gadgets e respira artificialmente através de um mecanismo inserido na orelha, chamado auricular, privado do qual entra em estado vegetativo.

 

 

Quotidiano

O Homo Doméstico habita exclusivamente zonas urbanas com elevada densidade populacional, para que possa facilmente ver e ser visto. É geralmente muito ativo e move-se exclusivamente em ambientes com duas características fundamentais: serem da moda e terem ar condicionado (AC). Assim, o indivíduo passa o dia no AC do escritório da moda, de onde sai para o AC do automóvel da moda, de onde sai para o AC do ginásio da moda, de onde sai de novo para o AC do automóvel da moda no qual se dirige ao AC do apartamento da moda, onde se fecha para tomar um duche numa casa de banho da moda, vestir-se com roupa da moda e sair para o AC de um restaurante da moda, de casa de um amigo da moda, de um teatro da moda ou de uma exposição da moda.

Quando perante uma fêmea esteticamente equilibrada - torax desenvolvido ainda que artificialmente, penugem bem aparada, dentição completa e pedigree - é enérgico e simpático, charmoso e disponível para boa conversa. Para proteger a pele dos efeitos da radiação solar e dos gases tóxicos que caracterizam as zonas que habita, nos raros momentos em que se expõe ao ar livre cobre-se com espessas camadas de cremes cujo preço nunca se situa abaixo dos três digitos. De noite, quando fica no loft, gosta de ver séries de culto ou ouvir música eclética, sozinho ou acompanhado por outros machos e fêmeas, com as quais partilha conselhos de beleza e juventude. Uma das características mais curiosas do Homo Doméstico é a sua dissimulada fixação por futebol. Quando não vai ao estádio, onde possui lugar cativo em nome de um tio, finge desinteresse pelos jogos a que assiste em série no televisor da moda, sentado de pernas traçadas no sofá da moda, envolto no mais sepulcral silêncio. Mesmo quando não está a ver televisão, o Homo Doméstico segura firmemente o comando da tv na mão direita enquanto com a esquerda procede discretamente à chamada “cossação da genitália”, hábito que enfurece as fêmeas mas relativamente ao qual elas simulam indiferença.

Quando defeca, o macho lê, geralmente revistas ou jornais sobre economia, política, futebol ou beleza, desde que escritos em inglês e que tenham aplicações para Ipad. Este hábito faz com que o ato se prolongue por vários minutos, libertando-o assim com legitimidade, do maior número possível de tarefas domésticas, que finge estar sempre disponível para efetuar. Por outro lado, ele é grande apreciador do ruído característico dos gases que liberta e que lhe provocam gargalhadas solitárias. O Homo Doméstico nutre também uma extraordinária vaidade pelo seu próprio pénis, que considera sempre maior e mais belo que o dos restantes habitantes do planeta.

 

Reprodução

A reprodução do Homo Doméstico inicia-se apenas depois dos 35 anos. Ocorre entre de Janeiro e Julho, quando os machos adultos solitários procuram fêmeas recetivas. O ritual da busca chama-se “engate”, é bastante simples e ocorre maioritariamente nas horas de expediente, que é onde passa a maior parte do tempo. Ao encontrar uma fêmea que lhe agrade, o macho Doméstico aproxima-se, lança-lhe um piropo subtil e, por vezes, convida-a para um pequeno-almoço de trabalho. Quando está muito interessado, envia sms e mensagens no Facebook, gestos que, por vezes, irritam outros machos e originam lutas verbais ferozes, com artigos publicados em revistas e por vezes, mesmo em jornais. Se o “engate” ocorrer fora da hora de expediente poderá gerar de forma quase automática um ato sexual, mas este só em honrosas exceções culminará em reprodução. Esta, entre Homo Domésticos, dá-se geralmente, por inseminação artificial, já que o horror às DST impede que aconteça de outra forma.

 

Ocasionalmente o Homo Doméstico demonstra inclinação por praticar “engate” com outro Homo Doméstico. Nesta situação os restantes machos do grupo congratulam-no por ter "saído do armário" e acolhem imediatamente o elemento mais recente, tratando-o respeitosamente por Homo Sexual ou gay. Todavia, quando na intimidade, referem-se por vezes a estes últimos de forma depreciativa, como larilas ou panisgas.

 

A gestação dura cerca de 240 dias, com os nascimentos a ocorrerem em qualquer altura do ano, desde que marcados previamente. As fêmeas têm entre uma e duas crias, que pertencem metade à mãe, metade a uma outra mulher denominada “empregada” ou “babá”. Durante este período o Homo Doméstico altera ligeiramente os seus hábitos - torna-se mais caseiro, aumenta o consumo de videos pornográficos no Ipad e comunica no Facebook que “estão grávidos”, apesar de apenas muito raramente agir em conformidade.

A maturidade sexual do macho é alcançada cerca dos 40 anos, embora ele viva convencido de a ter atingido aos sete. O tempo de vida médio do Homo Doméstico é de cerca de 80 anos em cativeiro.

2 comentários

Comentar post