Sexta-feira, 14 de Outubro de 2011
por Rodrigo Saraiva

Percebo alguma da indignação que vejo e leio. Só me parece é que é dirigida ao alvo errado. E não me refiro apenas ao governo anterior. E onde andou esta indignação, digamos, nos últimos 16 anos?! Ou mais...


tiro de Rodrigo Saraiva
tiro único | comentar | gosto pois!

7 comentários:
De k. a 14 de Outubro de 2011 às 11:12
Não entendo a indignação, de todo.
O PPC sempre prometeu que ia além da troika

e nos ultimos 16 anos, só houve um meltdown generalizado da economia mundial. deixemos de ser masoquistas, e comecemos a reconhecer a realidade como ela é - Islândia e Irlanda são paises eram paises ricos e "trabalhadores", mas há problemas um pouco por todo o mundo desenvolvido


De Ricardo Vicente a 15 de Outubro de 2011 às 14:52
meldown generalizado da economia mundial? Isso é falso: a economia mundial tem crescido. De facto, até cresceu durante a crise iniciada em 2007, que afectou sobretudo os países mais ricos do mundo mas não chegou a castigar a economia mundial como um todo (lá vai uma redundância).


De it a 14 de Outubro de 2011 às 13:23
Ora muito bem, para mim o descalabro começou em 1992-3. E nos interesses e na estupidez dos protagonistas.
'Pildra' com eles todos!


De Diogo Melo a 14 de Outubro de 2011 às 15:23
Aqui e ali vai-se notando o desejo pela condenação dos responsáveis - tantos e tão bem distribuídos ao longo das últimas décadas - pelo estado actual de Portugal. Tal desejo não me parece descabido, antes pelo contrário.

Mas pergunto-me: então e as oposições aos governos? Não terão elas a sua quota parte de responsabilidade no meio deste reboliço? Não basta sujeitarem-se ao escrutínio dos portugueses para adquirirem o título de "oposição" e sentar o rabinho em São Bento.



De Ricardo Vicente a 15 de Outubro de 2011 às 14:54
Recordo-lhe que Sócrates teve mais de quatro anos de maioria absoluta e que Guterres tinha 115 deputados mais um queijo a apoiá-lo no parlamento. As oposições tinham pouco poder porque assim decidiram os eleitores.


De Diogo Melo a 15 de Outubro de 2011 às 17:06
Recordo-me bem disso, mas esse é um argumento demasiado fácil.

Curiosamente, durante alguns dos mandatos que menciona a oposição era mais evidente em partidos com menor presença parlamentar, tanto à esquerda como à direita.

Nalguns casos, até metia dó assistir ao vazio do então chamado maior partido da oposição, sobretudo quando liderados por Marques Mendes.

Pelo que já me foi dado a perceber, receio bem que o actual maior partido da oposição se vá transformar em algo assim: um vazio.


De Ricardo Vicente a 16 de Outubro de 2011 às 16:38
O que interessa não é saber se o argumento é fácil ou difícil mas sim se é verdadeiro. Na medida em que o argumento assenta em factos (o número de deputados que apoiou determinado governo), o argumento é verdadeiro.

Concordo que muitas vezes os partidos mais pequenos fazem oposição mais cerrada. Mas insisto que se esses partidos são pequenos é porque os eleitores assim decidiram. Repito pois o que disse: "As oposições tinham pouco poder porque assim decidiram os eleitores".


comentar tiro

Regimento
outras cavalarias
tiros recentes
tiros mais comentados
cofre
tags
Arregimentados
Subscrever feeds