Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Forte Apache

Cancelamento de cirurgias em Serviço Público

Carlos Faria, 30.01.13

Já me habituei que existe um tratamento diferencial na cobertura jornalística nacional dos problemas insulares face aos que se passem no território do Continente, tal como já me habituei a que os problemas no estado social, quando gerido por socialistas, merecem menor atenção do que quando geridos por governos sociais-democratas.

Imagine, que nuns Açores com um Serviço Regional de Saúde, onde o Executivo socialista chuta para as empresas públicas as dívidas da sua governação para se vangloriar perante Lisboa de ter um superavit nas suas contas públicas já houve 50 cirurgias canceladas só em Ponta Delgada, nomeadamente por dificuldades orçamentais.

Este hospital cobre uma população de menos de 150 mil pessoas, transponha a relatividade do problema para a dimensão de 9,5 milhões de habitantes do Continente e veja quantos cancelamentos o Serviço Nacional de Saúde teria efetuado e a dimensão do escândalo que seria.

É assim na prática, na terra do domínio quase absoluto do PS, que está defendido o serviço público... mas o perfume inebriante da rosa cala a desgraça.

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Carlos Faria 30.01.2013

    Em termos de dívida orçamental é público e não foi suavizado pelos OCS.Em termos de dívida transferida nas empresas públicas, a dos
    mais

    Em termos de dívida orçamental é público e não foi suavizado pelos OCS.
    Em termos de dívida transferida nas empresas públicas, a dos Açores é desconhecida.
    Sobre cancelamentos de cirurgias, não sei, mas o PS recusa-se a cooperar nos cortes do Estado em nome do estado social e nos Açores, vangloriam-se de superavit, já cortam nas cirurgias.
    Como faria o PS nos Açores se estivéssemos oficialmente falidos como fizeram ao Continente?
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.