Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Forte Apache

Intemporal

Alexandre Poço, 03.06.13

No encontro da semana passada na Aula Magna, falou-se muito da substituição do poder económico - visto por quem lá se deslocou como o Satanás da sociedade - pelo poder político - a fonte de toda a regeneração. Ouvi dois ou três discursos dos solenes que usaram do púlpito e de imediato, lembrei-me do que Friedrich Hayek escreveu, em 1944, no célebre Caminho para a Servidão: "A substituição do poder económico pelo poder político, actualmente tão reinvidicada, significará necessariamente a substituição de um poder limitado por um outro a que ninguém se pode furtar. Aquilo a que se chama poder económico pode ser usado como instrumento de coerção, mas está nas mãos de particulares; nunca é um poder exclusivo nem completo, nunca é o poder sobre a vida de uma pessoa. Contudo, se for centralizado como instrumento do poder político, cria um grau de dependência que mal se distingue da escravatura.

Libertar Portugal da Troika

Alexandre Poço, 30.05.13

O encontro promovido pelo Pai Fundador entre as esquerdas (aos 88 anos podia ter-lhe dado para outras coisas que não a tarefa de cupido) tem já algumas conclusões antecipadas:

 

- Precisamos de mais despesa, menos impostos, mais défice e menos dívida.

 

- O governo é mau porque é neoliberal (elaborar isto é complicado, pois teríamos de começar por explicar o que é o adjectivo que se imputa ao sujeito, o que é capaz de demorar). 

 

- O BCE, Hollande e o SPD vão ajudar-nos (esta passa com abstenções de braço no ar de elementos estalinistas e trotskistas. Miguel Tiago e Ana Drago saem da sala antes de se votar). 

 

- Vítor Gaspar é fanático. 

 

- O PSD não está com o governo, basta ouvir a Manuela Ferreira Leite para se perceber isto.

 

- O CDS não aguenta o barco por muito tempo. 

 

- Precisamos (as esquerdas individualmente) de fazer qualquer coisa, talvez um congresso ou outro encontro. 

 

- Jorge Jesus deve continuar porque o Benfica passou a disputar os títulos até Maio.