Quinta-feira, 25 de Abril de 2013
por Fernando Moreira de Sá

Um País que após trinta e nove anos de democracia e liberdade não consegue corrigir as assimetrias do território falhou a lógica de um desenvolvimento pleno e legítimo – incapaz de existir se os meios e os instrumentos aptos a realizá-lo estão concentrados numa breve faixa litoral do País, largando o resto do território à desertificação e à astenia de capacidades e competências - é forçoso, nesta matéria, verificar um falhanço objetivo de todos, mas todos, os governos constitucionais. Aí, ainda não se cumpriu o sempre repetido grito de alegria de Sophia de Mello Breyner quando cantava: “O dia inicial inteiro e limpo onde emergimos da noite e do silêncio”…

A crise, e as diversas respostas internas que esta originou desde 2008, agravaram este problema não resolvido. O poder político, perante a iminência da crise financeira, não conseguiu escapar ao instinto natural da “fuga para o centro” imitando os moluscos com carapaça quando pressentem uma ameaça. Em claro contraste com os melhores exemplos europeus, Portugal é hoje um País em que o verdadeiro poder de decisão se encontra bastante mais centralizado do que há uma década" - Carlos Abreu Amorim


tiro de Fernando Moreira de Sá
tiro único | comentar | gosto pois!

Quarta-feira, 6 de Fevereiro de 2013
por Fernando Moreira de Sá

 

 

A escolha de Carlos Abreu Amorim como candidato a Vila Nova de Gaia é uma excelente notícia.

 

O actual presidente da Câmara Municipal de Gaia, Luís Filipe Menezes, demonstrou estar atento aos sinais e ter "faro" político. Quando Marco António Costa decidiu não ir a Gaia, naturalmente, multiplicaram-se as vontades e as ambições. Qualquer solução interna seria, como se viu noutros concelhos de Norte a Sul, abrir uma guerra de consequências nefastas. Como se viu nos primeiros dias.

 

Uma vez mais, LFM, aguentou os ataques, deixou as várias vozes gritarem na praça pública sozinhas. Nesse entretanto, fazia o trabalho de casa: convencia o Carlos Abreu Amorim, falava com todas as partes e obteve os consensos necessários. É obra!

 

O Carlos é um excelente candidato e uma grande surpresa. Um independente, conhecedor do terreno e da realidade do Grande Porto. Em Viana do Castelo todos diziam que não era conhecido, que não tinha ligação ao distrito, que isto e aquilo. No fim, teve o segundo melhor resultado de sempre do PSD em Viana...

 

O Carlos Amorim tinha tudo para recusar. É vice-presidente da bancada do PSD, está a ser um dos melhores deputados, está em várias comissões e a sua imagem interna está em alta. Além disso, existe uma tendência, uma espécie de maldição centralista, de os políticos do Norte chegarem a Lisboa e esquecerem, rapidamente, as suas origens e as suas gentes. O Carlos, uma vez mais, provou ser diferente. Prefere o risco ao conforto. Prefere lutar na sua terra e pelos seus. A bancada do PSD vai perder um dos seus melhores. Vila Nova de Gaia, o Grande Porto e o Norte ficam a ganhar.

 

Ainda bem.

 


tiro de Fernando Moreira de Sá
tiro único | comentar | ver comentários (4) | gosto pois!

Quinta-feira, 22 de Dezembro de 2011
por Fernando Moreira de Sá

tags: ,

tiro de Fernando Moreira de Sá
tiro único | comentar | ver comentários (2) | gosto pois!


Regimento
outras cavalarias
tiros recentes
tiros mais comentados
2 comentários
cofre
tags
Arregimentados
Subscrever feeds