Quarta-feira, 29 de Maio de 2013
por Diogo Agostinho

 

A Comissão Europeia prestou uma justa homenagem a Diogo Vasconcelos. Um homem que em vida lutou por uma verdadeira agenda de inovação para Portugal. Fica um reconhecimento merecido. 


tiro de Diogo Agostinho
tiro único | comentar | gosto pois!

Sexta-feira, 12 de Outubro de 2012
por Diogo Agostinho

 

Inovação? Só por acaso surge do acaso.


tiro de Diogo Agostinho
tiro único | comentar | gosto pois!

Quinta-feira, 2 de Agosto de 2012
por Diogo Agostinho

 

A EGP, no Porto, ajuda os jovens licenciados a encontrarem o primeiro emprego. Fica a reportagem e a forma diferente de apresentar os alunos. É uma forma de diferenciar esses mesmos alunos. E se as empresas levarem a mal, se calhar não são empresas certos para estes jovens. 

 

O talento, a inovação, a escala global. É um bom exemplo. 


tiro de Diogo Agostinho
tiro único | comentar | gosto pois!

por Diogo Agostinho

 

Se está a ler este post, neste dia, é provável que as tenha nos pés. Ou no cantinho à espera do fim do dia. Ou vai utilizar neste mês. 

 

É verdade. As havaianas fizeram 50 anos e estão aí em força. De todas as cores e feitios. Estima-se que já foram produzidos mais de 3 mil milhões de pares. É muita fruta, de facto. De origem japonesa (quem diria), estão pelo mundo todo. Simples e confortáveis. Design adaptado ao pé. É a prova de que por vezes não é preciso inventar muito para lá do óbvio. 

 

Parabéns pelos 50 anos de vida. 


tiro de Diogo Agostinho
tiro único | comentar | gosto pois!

Domingo, 24 de Junho de 2012
por Rui C Pinto

Em conversa entre amigos perguntavam-me, há alguns dias, porque é que não há, em Portugal, uma relação estreita entre o meio académico e o meio empresarial por comparação aos Estados Unidos. A conversa fluiu. Da investigação de ponta e desenvolvimento de tecnologias ao desenvolvimento de spin-offs alimentadas em crédito. Abordei resumidamente, para não aborrecer, a necessidade de financiamento directo das Universidades que permitam sustentar continuamente esse desenvolvimento científico e tecnológico através, naturalmente, das propinas.

 

A rejeição da minha tese foi uníssona. "As propinas já são muito caras". "Os professores estão lá é para ensinar". "As propinas já são muito caras para o serviço prestado". Os portugueses, vítimas tantas vezes da sua periferia, olham embevecidos para a dinâmica empresarial que rodeia o MIT, a Carnegie Mellon ou Berkeley. Admiram a sua capacidade criativa e empreendedora. A sua íntima relação com a indústria. Mas certamente não lhes gabam os valores das propinas dos cursos de 1º ciclo: $22,492 no College of Engineering de Berkeley, $44,880 na Carnegie Mellon ou $40,732 (em média) no MIT. 

 

Continuamos, por isso, a pretender o Sol na eira e a chuva no nabal. 


tiro de Rui C Pinto
tiro único | comentar | ver comentários (4) | gosto pois!


Regimento
outras cavalarias
tiros recentes
tiros mais comentados
cofre
tags
Arregimentados
Subscrever feeds