Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Forte Apache

3 motivos para não gostar do filme do Marcelo

Alexandre Poço, 11.11.12

1 - Não percebo o motivo de se fazer um vídeo claramente provocador para um país que, ministro após ministro, chanceler incluída, faz elogios sucessivos à execução do programa de ajustamento português. Caso do Ministro das Finanças alemão que assegurou - lembram-se do vídeo não autorizado da TVI - ao nosso Ministro das Finanças que a Alemanha está disponível para flexibilizar o nosso programa de ajustamento. Merkel já nos apontou como "exemplo" para a Grécia e o Ministro da Economia alemão tem feito sucessivos elogios à forma como estamos a implementar as medidas do memorando. 

 

2 - Tal como o vídeo para a Finlândia, este vídeo insiste na excepcionalidade portuguesa e na aparente superioridade moral que temos perante os outros povos por aquilo que já passámos e fizemos internamente, bem como, por aquilo que já fizemos pelos os outros. Não percebo esta nossa "mania" chico-esperta de querer "chapar em cara" os feitos portugueses. Se fizemos bons progressos em democracia, também fizemos grandes asneiras, prova de que em menos de 40 anos, tivemos de pedir 3 vezes ajuda externa. Somos exemplo para uma Alemanha? Para uma Finlândia? Eles precisam de levar com o nosso discurso arrogante e provinciano? 

 

3 - Por fim, não percebo como é que pessoas de direita e militantes do maior partido do governo podem fazer um vídeo que sugere que, já que o governo português não nos sabe defender e adopta uma postura subserviente perante os estados-membros da UE, temos de ser nós a mostrar que defendemos o país desses malvados que nos querem esmifrar e arruinar a bela vida que tínhamos até aqui. Seguro agradece o presente da malta do PSD: é dar argumentos à oposição para criticar, mas isso já é um velho costume: a direita dar nozes à esquerda. Não admira que os governos de direita não durem muito em Portugal (tirando o consolado cavaquista)... Com "apoiantes" destes. Para terminar, se me dissessem que o vídeo tinha sido feito pelo Bloco de Esquerda, não me admiraria.

 

Fica a questão: que país será a próxima vítima dos vídeos portugueses?

 

Será desta?

jfd, 23.10.12

Será desta que o político que em Portugal mais tem feito campanha política, de forma regular, rotulada de opinião e ainda por cima remunerado (talk about NOT "reverse campaign financing"), vai finalmente se maçar e se sujeitar ao sufrágio? Mergulhará no Tejo frente a Belém?

 

 

Marcelo Rebelo de Sousa obtém a melhor avaliação do painel, com uma média de 3,4. Os inquiridos foram convidados a classificar a capacidade de várias personalidades para ocupar o cargo de Presidente da República, numa escala de 1 a 5. (...) Marcelo é o único a ter um saldo de opinião sobre personalidade positivo: 33,9. (...) Em entrevista ao i em Setembro de 2011, Marcelo Rebelo não fechou a porta a uma candidatura presidencial. “No momento em que, se for esse o caso, eu tiver de ponderar se sou ou não candidato, ponderarei. Escolherei o momento e no momento escolhido decidirei se faz sentido ou não faz sentido.


i


Ou da sua confortável posição continuará a opinar fazendo e desfazendo mitos, alegorias e casos em mentes ocas e desprovidas (de auto capacidade) de contraditório?

Algo é certo, a campanha já tem certamente mais de 10 anos...

Quando Abrantes se confunde com #$%/%!

jfd, 03.08.12

Os Abrantes são tidos como sendo prós (de chatos profissionais) e bem financiados para a me!da que escrevem.

Agora, quando se limitam a ser caixa de ressonância de um simples Marcelo wanna-be, via JN, e ainda por cima por este gozado; só me relaxo na cadeira a rir.

Abrantes & Expresso: o mix do Verão!

 

PS - não resisti e entrei definitivamente no mercado da publicidade a vermes. Sorry leitores.

Haja poder de encaixe.

jfd, 12.05.12

Não há paciência para este senhor e a irresponsabilidade de declarações que infelizmente são ouvidas e tidas como lei por tanta gente por esse Portugal fora.

O comentador político Marcelo Rebelo de Sousa avaliou hoje a intervenção do primeiro-ministro sobre o desemprego como "desequilibrada" e explicou que lhe faltou uma palavra de compreensão para o "lado negativo" do que é estar desempregado.

Em Guimarães para uma conferência subordinada ao tema "Solidariedade em Portugal 2012", o professor e comentador Marcelo Rebelo de Sousa afirmou no final à Lusa que Pedro Passos Coelho tem uma "deformação" por ser "muito explicativo".(...)

O ideal certamente é voltar aos vendedores de banha da cobra.

Faça-me o favor!

Perguntas inocentes

jfd, 30.04.12

Como é que se entra na história?

Falando sobre tudo e mais alguma coisa, dormindo trinta minutos por ano e fugindo a tudo o que é desafio que implique sufrágio?

Não percebo.

O que disse outro grande pensador, Bush o segundo, sobre a história?

 

"One of the things important about history is to remember the true history." -- George W. Bush, Washington, D.C., June 6, 2008

O nosso entretém

José Meireles Graça, 19.03.12

Marcelo é assim: Deus livra-o de ferir alguma susceptibilidade, ser claro ou original, afastar-se do mainstream das ideias da moda ou não recomendar um dos numerosos livros dos quais leu a badana; simpatiza com dois clubes de futebol, mas tem a maior estima pelos restantes; não é de esquerda, nem verdadeiramente de direita, antes pelo contrário; era contra o abortamento, desde que não fosse penalizado; e é claramente a favor de uma facção do PSD, que às vezes sabe qual é.


Nesta notícia Marcelo critica o prémio de Mexia na EDP, mas vai logo acrescentando que "independentemente do mérito da gestão, que não está em causa, independentemente dos lucros que tenham existido, independentemente dos resultados da privatização do ponto de vista financeiro".


Cabe perguntar: Se nada disso está em causa, por que razão o prémio se não justifica? Marcelo explica que "certas empresas funcionam como se estivessem noutro país. Como se o país não estivesse a viver as dificuldades que está a viver. Acho que isso é muito negativo".


O que eu acho negativo é que a EDP funcione tão como estando no nosso País; que os seus lucros saiam não da eficiência que não tem, mas tanto da concorrência a que não está exposta; e que Mexia, em vez de ganhar o que nunca demonstrou merecer, não ganhe o que é devido a outro qualquer político servidor do Estado em funções de topo - que é o que Mexia nunca deixou de ser.


Isto Marcelo não diz. Podia alguém não gostar, e Marcelo é extremamente gostável. Que Deus assim o guarde por muito tempo, para nosso entretém.

Olha quem fala!

jfd, 30.01.12

(...)O que eu peço a esses cavaquistas, que eu não sei quem são, anónimos, é que desamparem a loja, o tempo deles passou, calem-se, desapareçam, reformem-se, brinquem com o que quiserem, mas não com o país”, defende o antigo líder do PSD.

Não comprometam o Presidente, não obriguem o Presidente a perder espaço de manobra e a ter que dizer que não tem nada a ver com esses cavaquistas”, sustenta Marcelo Rebelo de Sousa.